Engana-se totalmente quem pensa que a natureza é só o que vemos ou temos conhecimento. Novas espécies surgem todos os dias e os cientistas pesquisam tudo o que podem sobre os novos seres. Tudo isso causa verdadeiro furor entre os pesquisadores e entre as pessoas que gostam de conhecer sobre novas espécies de animais, plantas e fungos.

Dia 22 de maio foi o Dia Mundial da Biodiversidade, e o Instituto Internacional para a Exploração de Espécies, localizado na Universidade do Arizona, divulgou uma lista com as novas espécies mais intrigantes do mundo! Tem árvore gigante, anêmona que vive em geleira, mamífero bonitinho, entre outros. Conheça todos eles com a gente!

Olinguito

Info

Dá vontade de apertar esse pequeno ser que vive nas florestas dos Andes na Colômbia e no Equador. Há 35 anos não se tinha relatos de novos mamíferos no hemisfério ocidental, e o Olinguito é o primeiro desde então.

Nome original: Bassaricyon neblina

Anêmona Andrill

Um ser de menos de 2,5 centímetros com corpo amarelo e duas dezenas de tentáculos. Essa anêmona foi batizada assim porque foi descoberta pelo Programa de Perfuração Geological Antártida, chamada ANDRILL. Ela vive sob a geleira Ross, na Antártida, sendo a primeira anêmona-do-mar que vive no gelo. Porém os pesquisadores ainda não conseguiram descobrir como ela consegue viver em meio a tanto frio.

Nome: Edwardsiella andrillae

Caramujo-das-cavernas

Lento até mesmo para um caramujo. Essa nova espécie consegue se mover alguns milímetros (no máximo centímetros) por semana. Ele é cego e sua concha não tem pigmentação, sendo totalmente transparente e até bem assustador. Mora 900 metros abaixo da superfície das cavernas Lukina Jama-Trojana, na Croácia.

Nome: Zospeum tholussum

Camarão esqueleto

Minúsculo (o macho mede 3,3 milímetros e a fêmea apenas 2,1 milímetros) e com uma aparência estranha e transparente, esse camarão lembra muito uma estrutura óssea. Essa espécie foi encontrada e coletada de uma caverna na ilha de Santa Catarina, no sul da Califórnia.

Nome: Liropus minusculus

Dragoeiro de Kaweesak

Com folhas em forma de espada, grandes e bonitas, e flores de cor creme com filamentos alaranjados, como as pessoas deixaram passar despercebida uma árvore que mede nada menos do que 12 metros de altura? Essa linda espécie se encontra nas montanhas de pedra calcária das Províncias Loei e Lop Buri, na Tailândia.

Nome: Dracaena kaweesakii

Gecko cauda de folha

Você vai ter uma grande dificuldade para encontrar um desses se estiver procurando por ele. Sua cauda larga é empregada como parte de sua camuflagem, assim como seu corpo fino e olhos enormes. Ele adora a noite, o que dificulta ainda mais localizá-lo na natureza, e vive nas florestas tropicais do nordeste da Austrália.

Nome: Saltuarius eximius

Laranja Penicillium

Apesar de ser encontrado em solos da Tunísia, esse fungo foi divulgado pela primeira vez em um jornal do Herbário Nacional da Holanda, portanto, foi nomeado em homenagem à família real holandesa. Ele produz uma matriz extracelular semelhante a uma folha, funcionando como proteção contra a seca. Se distingue pela cor laranja brilhante.

Nome: Penicillium vanoranjei

Tinkerbell Fairyfly

Qualquer semelhança com o nome da fada amiga de Peter Pan não é mera coincidência. Realmente, essa espécie de vespa parasitoide ganhou esse nome em homenagem à Sininho (Tinkerbell) por ser um dos menores insetos do mundo. Ela mede apenas 250 micrômetros e foi coletada na Estação Biológica LaSelva, na Costa Rica.

Nome: Tinkerbella nana

Ameba do Mediterrâneo

Essa ameba pode ser considerada gigante dentro do mundo de organismos unicelulares, medindo de 1,5 a 2 centímetros de comprimento. Ela se alimenta de invertebrados que se prendem nas suas estruturas espinhosas e foi descoberta em cavernas submarinas no largo da costa sudeste da Espanha, mesmo lugar onde esponjas carnívoras foram descobertas pela primeira vez.

Nome: Spiculosiphon oceana

Micróbios da “sala limpa”

Esses micróbios foram recolhidos de duas salas totalmente higienizadas onde espaçonaves são montadas, uma localizada na Flórida e outra na Guiana Francesa. São muito tolerantes às variações extremas de temperatura, de pH e concentração de sal, podendo persistir mesmo depois de uma grande limpeza no ambiente. Elas poderiam contaminar até mesmo outros planetas.

Nome: Phoenicis tersicoccus

***

E, depois de conhecer tudo isso, fica ainda mais forte a certeza de que temos que preservar muito a natureza e a rica biodiversidade do nosso Planeta para que novas espécies continuem surgindo e nos surpreendendo.