Uma notícia surpreendeu fiéis de todo o mundo na manhã desta segunda-feira (11/02): o Papa Bento XVI anunciou a renuncia ao cargo e informou que deve deixar suas funções no dia 28, último dia deste mês. Ele é o quarto Papa a deixar o cargo e o primeiro nos últimos 600 anos.

Na tarde de ontem (10/02), o Papa publicou sua última declaração no Twitter: "Devemos ter confiança na força da misericórdia de Deus. Embora sejamos todos pecadores, a sua graça nos transforma e renova."

Em comunicado, o religioso disse que, devido à sua idade, sua força não é mais adequada para as tarefas exigidas para o posto. O pontífice ainda disse que tomou a decisão pelo bem da Igreja. O Vaticano não quis comentar o caso até o momento, mas segundo o porta-voz do Vaticano, Federico Lombardi, a decisão pegou a todos de surpresa, inclusive pessoas próximas ao Papa.

Ele ainda disse que um conclave (reunião de cardeais para escolher um novo Papa) deve acontecer entre 15 e 20 dias após a renúncia. "Temos de ter um novo Papa na Páscoa", afirmou Lombardi. Ainda segundo o porta-voz, após a renúncia, Bento XVI deve passar alguns dias na residência papal de verão, em Castel Gandolfo, comunidade próxima a Roma e, em seguida, irá morar em um mosteiro dentro do próprio Vaticano.

Embora o Papa tenha afirmado que a motivação para a renúncia estava em sua idade, Lombardi garantiu que o pontífice não com teria qualquer doença grave, nem mesmo estaria em estado de depressão. Além disso, Lombardi disse que Bento XVI mostrou “grande coragem” em seu gesto.