(Fonte da imagem: Reprodução/The Thelegraph)

Parece que aquela história de encontrar mamutes passeando alegremente por aí pode se tornar realidade. Cientistas russos e sul-coreanos acabam de anunciar um projeto de cooperação para clonar um mamute, animal extinto há milhares de anos.

O acordo foi firmado entre o vice-reitor Universidade Federal da República de Sakha, Vasily Vasilev, e o controverso cientista sul-coreano Hwang Woo-Suks, especialista em clones da Fundação de Pesquisas Biotécnicas Sooam.

Os cientistas pretendem restaurar células dos espécimes de mamute encontrados na Sibéria, que permaneceram milhares de anos preservados pelo gelo da região. O grande desafio será encontrar tecidos suficientemente preservados que ainda apresentem genes intactos do animal.

Os pesquisadores devem, então, substituir os núcleos celulares de óvulos de elefante pelo material genético recuperado das células dos mamutes, criando embriões do animal extinto que serão implantados nos úteros de elefantes indianos.

Os russos vêm estudando formas de clonar mamutes há algum tempo, e inclusive já realizaram pesquisas em conjunto com cientistas japoneses. Os sul-coreanos, por sua vez, clonaram vários animais com sucesso anteriormente, e afirmaram que pretendem transferir seus equipamentos à Universidade Russa para este projeto.