(Fonte da imagem: Reprodução/imgur )

Não pense que o grandalhão da imagem acima foi ameaçado por ser ter sido testemunha de algum crime ou por ter se metido em alguma confusão! Na verdade, o animal da foto se chama Baraka — ou “Bênçãos” em swahili — e é um dos poucos rinocerontes negros que ainda restam no mundo, estando, portanto, seriamente ameaçado de extinção.

Embora a fonte que publicou a imagem acima afirme que se trata de um dos quatro espécimes de rinocerontes brancos que ainda existem no mundo, conforme apontaram alguns de nossos atentos leitores, essa informação não está correta. Na verdade, Baraka é um rinoceronte negro, dos quais, de acordo com a WWF, em 2010 restavam cerca de 4.800 espécimes apenas. A população de rinocerontes brancos é um pouco maior, contando com 20 mil indivíduos.

Seriamente ameaçados

Segundo informações postadas no site REDDIT, Baraka vive na reserva Ol Pejeta, no Quênia, e é incrivelmente dócil, sendo completamente dependente dos tratadores do parque por ser surdo e cego. Além disso, o rinoceronte teve o seu chifre roubado por caçadores ilegais que, por sorte, não o mataram durante o processo.

De acordo com o The Telegraph, os rinocerontes negros existem há pelo menos 50 milhões de anos, mas graças aos caçadores, que os matam para roubar os chifres, é bem provável que eles não sobrevivam a este século. Segundo a publicação, o chifre é roubado devido à crença na Ásia e África de que ele possua propriedades medicinais, sendo utilizado para fazer chás antitérmicos. Será que nunca ouviram falar em aspirina por lá?

Fontes: REDDIT, WWF, The Telegraph e Ol Pejeta