Os bichanos dominam: conheça a ilha japonesa invadida por gatos
586
Compartilhamentos

Os bichanos dominam: conheça a ilha japonesa invadida por gatos

Último Vídeo

Você gosta de gatos? Imagine viver em uma ilha cheia deles? Pois esse local existe e fica na costa sul do Japão, em uma pequena ilha localizada na província de Miyazaki chamada Aoshima. No local, existem apenas cerca de vinte moradores e mais de cento e vinte gatos selvagens, que dominam o visual da região.

Segundo o artigo de Rose Buchanan do The Independent, os bichanos foram originalmente levados para a ilha a fim de controlar uma grave infestação de ratos. Porém, com os gatos se reproduzindo e sem predadores naturais, o número de felinos acabou saindo do controle, mesmo com a oferta de ratos acabando.

Os animais foram se adaptando com outras fontes de alimento. Além disso, os locais acreditam em um poder benéfico dos gatinhos. Segundo eles, os felinos representam sorte e fortuna, sendo que isso viria em dobro para quem os alimenta: receita perfeita para os animais viverem com a barriguinha cheia e bastante energia para aumentar a família. 

Antigamente, há cerca de 380 anos, a ilha de 1,6 quilômetros já era habitada por humanos, sendo que em 1945 havia cerca de 900 pessoas morando lá que sobreviviam da pesca. No entanto, com o passar das décadas, a indústria pesqueira foi diminuindo em Aoshima, reduzindo também o número da população, que preferiu migrar para cidades do continente com mais oportunidades.

A queda maior no número de pessoas foi a uma década, fazendo a população de gatos subir descontroladamente pela falta de cuidados e fiscalização. Esforços estão sendo feitos para o controle da comunidade felina através da castração, mas o progresso ainda é lento.

Agora, poucas pessoas que ainda vivem na ilha sobrevivem com o turismo, que se tornou a principal fonte de renda local. E a maioria dos gatos atualmente sobrevive, principalmente, sendo alimentados por turistas que visitam a ilha.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.