Estátua da Liberdade pode acabar submersa por causa do aquecimento global
136
Compartilhamentos

Estátua da Liberdade pode acabar submersa por causa do aquecimento global

Último Vídeo

Algumas das atrações mais famosas do mundo – como a Estátua da Liberdade, a Torre de Londres e a Ópera de Sidney – podem acabar submersas por causa do aumento do nível do mar, que é um reflexo do aquecimento global. Tal afirmação vem de um estudo que acaba de ser publicado no periódico Environmental Research Letters.

Os pesquisadores apontam que com o aumento de 3° C – que é o que as Nações Unidas estimam que deve acontecer até o final do século – nas condições climáticas globais cerca de 20% dos 720 patrimônios mundiais serão afetados por causa do derretimento das geleiras e da expansão dos oceanos.

Para exemplificar a dimensão do problema, os cientistas decidiram analisaram como as atrações selecionadas pela UNESCO seriam ameaçadas após dois mil anos. Apesar do período ser bastante abrangente, os especialistas acreditam que os primeiros impactos definitivamente serão sentidos antes por causa da ação das enchentes.

Mapa divulgada no estudo mostra os locais que serão atingidos com a elevação do nível dos mares. Fonte da imagem: Reprodução/Environmental Research Letters

“Podemos dizer com alguma segurança que poderemos ver os primeiros impactos nesses locais ainda no século 21. Normalmente, quando as pessoas falam das mudanças climáticas é com relação às consequências econômicas e ambientais, o quanto custaria. Nós queríamos olhar para as implicações culturais”, explica o Professor Ben Marzeion, da Universidade de Innsbruck, na Áustria.

Como existe uma grande parcela de atrações espalhadas nas costas das nações, os pesquisadores alertam que esses seriam os primeiros lugares a serem atingidos. Segundo os pesquisadores, Nápoles (Itália), São Petersburgo (Rússia) e Bruges (Bélgica) são alguns exemplos de cidades vulneráveis. Ainda, o sudeste da Ásia deve ter o maior número de pessoas afetadas com a elevação do nível do mar, basicamente por ter cidades densamente povoadas e porque a subida das águas será mais expressiva nessa região.

Projeto do artista Chris Bodle procura mostrar onde o nível do mar pode chegar em alguns anos. Fonte da imagem: Reprodução/Gizmodo

O Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC) informou em setembro que espera que o nível do mar aumente entre 26 e 82 centímetros até 2100, embora não haja um consenso entre os especialistas sobre esse assunto. De acordo com o The Guardian, a única coisa em que os cientistas concordam é que o IPCC pode estar subestimando o problema, já que um estudo recente sugere que a elevação global dos mares será de 0,7 a 1,2 metros até 2100 e de 2 a 3 metros até 2300.

Marzeion acredita que o impacto cultural traz uma nova dimensão para a discussão, mas o professor não espera que sua pesquisa convença aqueles que não acreditam nos desdobramentos do aquecimento global. “Não estou muito otimista de que a cultura aumente o interesse pelo assunto. É difícil convencer as pessoas de que se trata de um problema. Parece que existe uma grande divisão entre as pessoas que sentem que esse é um problema e aquelas que não acreditam”, finaliza o pesquisador.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.