Sapo “punk rocker” troca de pele em questão de minutos
06
Compartilhamentos

Sapo “punk rocker” troca de pele em questão de minutos

Último Vídeo

A pesquisadora Katherine Krynak e seu marido Tim tiveram uma surpresa inigualável em uma de suas andanças pela floresta tropical do Equador: encontraram uma espécie de sapo desconhecida. Curiosa com a aparência do bicho, a cientista o apanhou para fazer uma avaliação mais detalhada na manhã seguinte.

O animal era bem pequeno (cerca de 23 milímetros) e tinha a pele coberta de espinhos, o que levou Krynak a apelidá-lo de sapo “punk rocker”. No dia seguinte, quando ela apanhou o anfíbio para tirar algumas fotos em um background branco, ele não parecia mais o mesmo, pois estava inteiramente liso. Nem é preciso dizer o quanto a cientista ficou decepcionada, chegando até mesmo a acreditar que havia capturado o bicho errado.

“Coloquei ele de volta no copo e adicionei um pouco de musgo”, explicou Katherine em entrevista ao site The Verge. “Os espinhos voltaram... Nós não conseguimos acreditar em nossos olhos, ele simplesmente mudou de textura! Coloquei-o de volta no plano de fundo branco e ele ficou liso novamente”, disse a pesquisadora.

Sapo troca-pele

Tudo indica que os Krynaks descobriram uma nova espécie de anfíbio que possui a habilidade de trocar de textura de pele. A criatura recebeu o nome de Pristimantis mutabilis, ou sapo mutável da floresta tropical, e foi descrito pela primeira vez na Zoological Journal of the Linnean Society.

Segundo Katheryne, bastam apenas cinco minutos para que a tez do bicho seja inteiramente alterada. Tudo indica que essa habilidade o ajuda a se esconder de pássaros e predadores da Reserva Las Gralarias – instituto natural equatoriano em que o sapo foi encontrado, onde os Krynaks se voluntariaram.

A cientista informou também que os espinhos e a coloração do anfíbio fazem com que ele se camufle bem em habitats com musgo. Entretanto, ela afirmou que ainda são necessários alguns estudos adicionais para averiguar se a textura auxilia ou não na hora de enganar os predadores – também não está claro como ele faz para trocar de pele.

Classificações erradas

Tudo indica que Pristimantis mutabilis não é o único mutante do gênero. Depois que ele foi documentado em 2009, alguns pesquisadores que trabalharam na mesma reserva no Equador descobriram que o Prismantis sobetes – uma espécie já conhecida e parente do mutabilis – possui a mesma habilidade.

A descoberta foi feita quando os cientistas foram fotografar um sobetes. Atualmente, os pesquisadores estão se perguntando quantos sapos foram classificados de forma errada devido à capacidade de troca de textura. O gênero Prismatis, por exemplo, contém mais de 470 espécies. É bem provável que muitas dessas sejam apenas o mesmo animal “descoberto” duas vezes.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.