8 planos dignos de supervilões que governos chegaram a tentar
357
Compartilhamentos

8 planos dignos de supervilões que governos chegaram a tentar

Último Vídeo

A humanidade, na vida real, possui ideias tão mirabolantes quanto alguns planos maléficos que só conseguimos ver acontecendo em superproduções da ficção. Uma lista produzida pelo site List Verse reúne alguns dos esquemas mais excêntricos que governos de diversos países já foram capazes tentar realizar, e nós selecionamos as 8 histórias mais incríveis para publicar aqui no Mega Curioso.

A maioria, como aqueles desenvolvidos por vilões do cinema, acabou não dando certo, naturalmente. No entanto, por incrível que pareça, alguns até conseguiram bons resultados. Confira a lista a seguir:

8. O Japão tentou incendiar os EUA com balões de ar quente

Essa tentativa de ataque inusitado aos Estados Unidos aconteceu em 1944, durante a Segunda Guerra Mundial. A ideia dos japoneses era lançar balões de ar quente pela corrente de jato que atravessa o oceano Pacífico a 9 mil metros de altitude e passa pelo território norte-americano. Com dispositivos incendiários acoplados aos equipamentos, o objetivo era atrapalhar os planejamentos americanos para a guerra, provocando enormes incêndios em florestas do país.

Muitos balões chegaram ao território dos EUA, mas foram poucos danos em relação ao que o Japão esperava alcançar. De qualquer forma, eles conseguiram provocar uma tragédia que deixou entre as vítimas uma mulher grávida e cinco de seus outros filhos. O governo americano decidiu encobrir a existência dos balões para que os cidadãos não entrassem em pânico. Depois disso, os EUA conseguiram bombardear as fontes de hidrogênio dos japoneses e acabaram com o projeto. O governo japonês decidiu então redirecionar os recursos para outros investimentos.

7. Os israelitas roubaram seus próprios navios que estavam em posse dos franceses

Em 1969, Israel possuía menos poderio bélico do que a França, país que estava embargando o território israelita na época. Desesperados para tomar uma atitude que ajudasse a se livrar dos franceses, os israelenses decidiram recuperar o seu próprio armamento que estava em posse do país rival. Esse material incluía cinco barcos de míssil.

Foi aí que o governo de Israel decidiu ir até o porto de Cherbourg para roubar as suas próprias embarcações. O plano foi arquitetado para acontecer na noite de Natal daquele ano, quando as equipes de segurança do porto estariam celebrando junto de suas famílias. Para tanto, os marinheiros israelenses se infiltraram no porto e se esconderam até o momento certo.

A tropa agiu bem e levou os barcos para casa sem qualquer parada, a não ser para reabastecimento a cada 3 mil km. Como era noite festiva, os responsáveis só foram notar a falta das embarcações quando os israelenses já estavam muito longe dali.

6. Os EUA tentaram matar as florestas do Vietnã para encontrar os inimigos

Os vietnamitas utilizavam as florestas do país com uma incrível habilidade para se esconder das tropas americanas. A ideia dos EUA então foi atacar as florestas com herbicidas que matassem as folhas e permitissem o rastreamento dos inimigos.

Em uma operação que se estendeu de 1962 a 1971, mais de 20 milhões de toneladas de veneno para plantas foram despejados sobre as florestas, que incluíram até a região de Laos, vizinha ao Vietnã. No entanto, apesar da audácia, do alcance e dos objetivos, a estratégia não alcançou o principal, que era revelar a localização dos vietnamitas escondidos nas florestas.

5. A estratégia nazista de derrubar a economia britânica com dinheiro falso

A ideia era causar inflação e desestabilização da economia do Reino Unido, mas, mesmo tendo feito mais de £ 100 milhões em notas de banco, os nazistas não obtiveram sucesso. A primeira proposta, de distribuir as notas para a população geral por meio de aeronaves, foi arquivada, então o material foi entregue aos espiões infiltrados, que o espalharam.

Para acabar com a investida dos inimigos, os britânicos simplesmente retiraram de circulação todas as notas superiores ao valor de £ 5. A medida resolveu o problema com tranquilidade, e notas com valores mais altos voltaram a ser utilizadas somente 30 anos após o ocorrido.

4. Os EUA usaram o sistema de correio nazista para divulgar propaganda anti-nazismo

Mesmo com a Alemanha perdendo forças na Segunda Guerra, que já se encaminhava para o fim em 1945, a OSS, agência de espionagem americana da época, resolveu colocar em prática um plano bem inusitado. Se fosse nos dias atuais, seria como hackear o sistema de email inimigo para disparar mensagens contra ele próprio. Mas como aconteceu antes da metade do século 20, as coisas foram um pouco mais difíceis.

Construindo pacotes idênticos aos do sistema de correio alemão, os americanos infiltraram milhares de cartas com propaganda contra o nazismo para serem enviadas aos próprios alemães. O plano inicial de enviar as cartas por meio da Suíça foi abandonado em função da baixa quantidade que conseguiria ser despachada. Mesmo assim, para mandar as postagens, os americanos tiveram de endereçar todas as cartas e infiltrá-las nos trens de correio nazista que fariam as rotas específicas.

Com ajuda dos Aliados, 120 sacolas de correspondência foram inseridas no serviço alemão. A quantia não foi tão expressiva como se esperava, mas o pouco material que foi entregue iniciou fortes rumores de um grupo secreto de resistência ao nazismo no país.

3. Nazistas se disfarçaram de Polícia Secreta Soviética para se apoderar de cidade soviética

Em 1942, membros das forças especiais alemãs, trajados como integrantes da NKVD — a polícia secreta da União Soviética — e a bordo de veículos russos capturados, entraram para depois conquistar a cidade de Maikop em um plano ousado. Eles eram liderados pelo barão Adrian Von Fölkersam, alemão descendente de russos que falava fluentemente a língua nativa de seus ancestrais.

Depois de se infiltrarem em Maikop como soviéticos, os soldados alemães começaram a espalhar o pânico entre os moradores, dizendo que a cidade havia sido abandonada. Enquanto um grupo de nazistas, contrariando ordens de superiores, propagava o caos na população por meio de uma estação de telégrafo, outro tentava evitar que os poços de petróleo fossem destruídos.

A missão foi designada pessoalmente por Hitler, que estava interessado nos campos de petróleo da região para abastecer as máquinas nazistas, por isso era fundamental que a operação tivesse cuidados. No entanto, apesar de conseguir dominar Maikop, os danos provocados pelos soviéticos nos poços de petróleo os deixaram sem possibilidade de uso por um ano.

2. A organização secreta americana na Europa que virou vilã

A CIA instalou uma organização para ficar por trás de todos os agentes secretos a fim de resistir à União Soviética, caso ela viesse a dominar a Europa. Foram construídos esconderijos secretos para dar suporte aos integrantes. No entanto, o grupo que fazia parte da rede italiana, Gladio, se tornou uma organização terrorista, tamanho era o ódio ao comunismo.

Embora pouca coisa se saiba sobre as ações, o grupo acabou sendo ligado a uma tentativa de assassinato do Papa, a explosões terroristas e até à infiltração nos mais altos níveis do governo italiano. O Gladio foi desativado depois de muitas denúncias de danos e prejuízos causados à população.

1. Os EUA tentaram manipular o clima em uma investida contra o Vietnã

O plano dos americanos era inundar as pontes e causar estragos nas linhas de abastecimento do país, por meio das montanhas e selvas. Para tanto, a ideia era abastecer as nuvens de tempestade com iodeto de prata de forma que o norte do Vietnã fosse atingido pelas extensas precipitações. A manobra não funcionou e, quando o programa foi revelado, houve um clamor popular para que a ONU proibisse especificamente as modificações de tempo como estratégias de guerra.

Essa pode parecer uma bela invenção de uma cabeça propensa a acreditar em teorias conspiratórias, mas esse plano fazia parte de um programa altamente sigiloso que durou de 1967 a 1972. Chegou inclusive a mudar de nome por diversas vezes para despistar as pessoas não autorizadas que de alguma forma obtinham conhecimento da nomenclatura mais recente da operação.

Qual plano famoso na história da humanidade você acha o mais parecido com uma ideia de vilão do cinema? Dê a sua opinião no Fórum do Mega Curioso

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.