De acordo com o pessoal do Gizmodo, o pessoal do projeto WAIS Divide, que se encontra na Antártida para realizar estudos climáticos, conseguiu completar a missão de realizar um furo para coletar amostras medindo 3.405 metros de profundidade, o mais profundo já realizado por uma equipe de pesquisadores norte-americanos.

O local escolhido para realizar o furo e coletar o material foi o Manto de Gelo da Antártida Ocidental, ponto que se encontra abaixo do nível do mar e no qual as margens formam plataformas de gelo que fluem em direções opostas.

(Você pode ativar as legendas do vídeo clicando no botão “cc” do menu).

Tempo congelado

(Fonte da imagem: Reprodução/WAIS Divide)

Nessa localização, a neve sofre bem poucas alterações, ou seja, esta oferece as condições ideais para a coleta de amostras para a realização de estudos desse tipo. Além disso, de acordo com os pesquisadores, este é o melhor ponto do mundo para obter informações sobre a ação dos gases de efeito estufa través de milhares de anos, além oferecer as melhores amostras para comparação com outras obtidas na Groelândia.

Com as informações, os cientistas esperam entender a influência que as alterações nos gases de efeito estufa podem ter com relação aos câmbios climáticos. E, com o tubo de gelo extraído através da perfuração, os cientistas terão acesso a um “registro congelado” de como o clima do nosso planeta se comportou durante os últimos 100 mil anos.

Fontes: Gizmodo e WAIS Divide