(Fonte da imagem: Reprodução/Universidade Rice)

Um grupo de estudantes da Universidade Rice, de Houston, Texas, desenvolveu um novo tipo de esponja, feita com nanotubos de carbono e um pouco de boro. De acordo com o artigo publicado no site da universidade, o material tem como principal característica repelir a água completamente, enquanto absorve o óleo presente nela. Essa propriedade faz desta superesponja uma arma importantíssima nos casos de desastres ecológicos nos quais ocorrem vazamentos de petróleo em mares e oceanos, por exemplo.

Segundo os testes realizados em laboratório, a esponja também é capaz de conduzir eletricidade, o que permite que ela seja controlada através de um ímã. Essa propriedade permite que a superesponja seja guiada, quando se encontra no mar, e recolhida posteriormente — com o uso de um objeto magnético.

Além disso, ao apresentar mais de 99% de ar em sua composição, as novas esponjas tem baixíssima densidade, o que permite que elas absorvam mais de 100 vezes o seu peso em óleo. E, depois de recuperadas, elas podem ser comprimidas, para eliminar o conteúdo absorvido, ou queimadas, processo que eliminará todo o óleo, mas que manterá a superesponja intacta e pronta para ser reutilizada.