(Fonte da imagem: Reprodução/Photoblog MSN)

Uma espécie de fenda no campo magnético da Terra ocasionou o espetáculo de luzes polares da imagem acima. A foto foi tomada na noite de 27 de fevereiro, em Kangerlussuaq, na Groenlândia.

O fenômeno óptico, conhecido como Aurora Boreal, ocorre devido à interação entre a magnetosfera terrestre e as partículas elétricas provenientes do sol — o famoso vento solar. Essa interação energiza o oxigênio e o nitrogênio presentes na ionosfera, resultando nas luzes verdes e avermelhadas visíveis nas regiões polares do planeta.

Inclinação do campo magnético

De acordo com Tony Phillips, do site SpaceWeather.com, o campo magnético interplanetário se inclinou na direção sul, abrindo uma fenda na magnetosfera. Essa fenda o foi suficiente para causar uma pequena tempestade geomagnética, resultado da emissão de partículas provenientes do sol depois das erupções ocorridas na última sexta-feira, dia 3 de março.

No momento, nos encontramos na metade de um agitado ciclo solar. Esses ciclos costumam durar 11 anos, e o pico deste último deve ocorrer em 2013. Caso as tempestades se tornem muito intensas, é possível que ocorram ainda mais problemas com os satélites de comunicação e com a rede elétrica. O que não podemos negar é que as luzes polares têm oferecido imagens especialmente espetaculares este ano.