Projeto de cápsula biodegradável pode transformar os cemitérios do futuro
265
Compartilhamentos

Projeto de cápsula biodegradável pode transformar os cemitérios do futuro

Último Vídeo

Um dos dilemas relacionados com o constante aumento da população é o fato de que também teremos que lidar com uma enorme quantidade de mortos. O problema é que, além de muitos dos cemitérios atuais já estarem no limite de ocupação, é necessário encontrar soluções mais eficientes do que as tradicionais para dispormos dos corpos — afinal, os cadáveres podem contaminar o solo, as covas ocupam espaço, e é preciso derrubar árvores para fazer caixões!

Além disso, embora a cremação seja uma opção um pouco melhor, muitas pessoas ainda optam pelos enterros convencionais. Pois foi pensando em criar uma alternativa mais sustentável que os designers italianos Anna Citelli e Raoul Bretzel desenvolveram o projeto “Capsula Mundi”, que, conforme acreditam, pode transformar os cemitérios do futuro.

Fertilizante humano

De acordo com Jordan Minor, do portal Geek, Anna e Raoul propõem que os cadáveres sejam depositados no interior de cápsulas biodegradáveis que, depois, são depositadas no solo. Os falecidos são colocados em posição fetal, e os corpos servirão de alimento para árvores que serão plantadas sobre as cápsulas conforme estas vão se decompondo.

Segundo os designers, as cápsulas — que se parecem com casulos — são feitas de bioplástico, e a escolha da árvore que será plantada sobre elas pode ser feita antes de o ocupante falecer (caso ele se planeje direitinho) ou pela família. Conforme explicaram, no fim das contas, além de essa alternativa evitar que árvores sejam cortadas para produzir caixões, o meio ambiente ainda ganha uma nova floresta “fertilizada” por corpos humanos.

De momento, as leis italianas proíbem esse tipo de enterro — assim como em diversos países —, mas os designers esperam conseguir mudar a legislação para levar o projeto adiante. E você, caro leitor, o que acha da proposta? Não deixe de compartilhar a sua opinião conosco nos comentários.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.