(Fonte da imagem: Reprodução/CBC News)

Se você achava que a vida de cientista era glamourosa, cheia de equipamentos caríssimos e estudos sofisticados, pense novamente. De acordo com o site CBC News, um grupo de cientistas da Universidade Queen, no Canadá, descobriu uma torre de cocô de passarinho com quase 2 metros de altura, dentro de uma chaminé abandonada do campus.

Pode ser que os cientistas não sejam assim tão glamourosos, mas certamente são muito curiosos. Com a descoberta, eles decidiram analisar o conteúdo da torre para tentar encontrar a causa da diminuição da população de uma espécie de pássaro, o Chaetura pelagica, ou chimney swift. As descobertas foram publicadas no periódico Proceedings of the Royal Society B.

Torre de cocô

De acordo com um dos pesquisadores, John Smol, a torre de cocô é um verdadeiro livro de história, pois é o resultado de 50 anos de depósitos contínuos, e esta é a primeira vez que a medição de uma torre de excrementos é realizada. Através da análise, os cientistas esperam poder demonstrar que o uso do inseticida DDT foi a principal causa da diminuição no número de espécies insetívoras de pássaros, principalmente o chimney swift.

Segundo os cientistas, a chaminé da universidade acolhia uma população de mais de 4 mil chimney swifts, até que foi coberta por uma malha em 1993.