Conheça a intrigante história do incidente OVNI no Lago Falcon
358
Compartilhamentos

Conheça a intrigante história do incidente OVNI no Lago Falcon

Último Vídeo

As histórias sobre supostos encontros com alienígenas e abduções são sempre interessantes, especialmente por que grande parte delas não tem explicação. Esse é o caso do intrigante incidente OVNI que ocorreu no Lago Falcon, no Canadá, em 1967, e que até hoje continua sendo tratado como um mistério.

Tudo aconteceu quando o mecânico e geólogo amador Stephen Michalak se encontrava no Lago Falcon — que fica próximo a Winnipeg, em Manitoba — procurando por minerais. No início da tarde, Stephen percebeu certa agitação entre os gansos que estavam por perto e, ao olhar para cima, avistou dois objetos brilhantes com formato ovalado fazendo uma rápida manobra de descida.

Um dos objetos pousou sobre uma rocha plana cerca de 50 metros de onde Stephen se encontrava, enquanto que o outro parou sua descida abruptamente, pairando em posição estacionária próximo dele. Instantes depois, essa segunda nave partiu rapidamente, mudando do vermelho para o alaranjado e, finalmente cinza antes de desaparecer. A que pousou também mudou de cor — de vermelho a cinza, até ficar no tom de metal incandescente.

Aproximação

Curioso, Stephen se aproximou cuidadosamente do objeto pousado e, segundo relatou, o OVNI se parecia com uma tigela com um domo no topo, e media perto de 12 metros de largura por 4,5 metros de altura. A nave produzia uma espécie de zumbido e emitia um odor semelhante ao de enxofre, e existiam aberturas através das quais era possível ouvir vozes abafadas — Stephen conseguiu distinguir pelo menos duas — que pareciam ser humanas.

Stephen contou que, em um primeiro momento, ele pensou que se tratava de um objeto de origem terrestre, e tentou se comunicar com os ocupantes da nave em vários idiomas, perguntando se eles precisavam de ajuda. Mas, ao não obter nenhuma resposta, ele resolveu dar uma espiadinha, enfiado a cabeça através da porta para ver se havia alguém no interior. E sabe o que ele viu? Ninguém! Apenas um emaranhado de luzes.

Nesse momento, alguns painéis deslizaram e bloquearam a porta e, ao tentar se afastar, Stephen tocou a nave — que, de tão quente, chegou a derreter as luvas que ele estava usando. De repente, o OVNI levantou voo liberando ar superaquecido por uma grade que funcionava como sistema de exaustão, queimando o chapéu de Stephen e fazendo com sua camisa se incendiasse queimasse seu torso. Além disso, o canadense se lembra de sofrer um forte ataque de náusea.

Pós-contato

Horas mais tarde, quando Stephen foi examinado em um hospital de Winnipeg, os médicos detectaram níveis de radiação ligeiramente superiores ao normal em seu corpo, e encontraram queimaduras que formavam um padrão idêntico ao da grade que o mecânico havia descrito. Curiosamente, investigações conduzidas por civis e órgãos oficiais não levantaram evidências contundentes de que a história de Stephen fosse uma armação.

Inclusive, em meados da década de 70, um membro do parlamento canadense fez uma reclamação formal alegando que o governo se recusava a liberar detalhes sobre o caso. No entanto, isso não significa que os céticos não tenham encontrado algumas inconsistências nos relatos de Stephen.

Investigações

Após o incidente, Stephen teria se dirigido ao hotel no qual estava hospedado e, no caminho, ele encontrou um oficial da Polícia Montada Canadense. Segundo o policial, o mecânico não permitiu que ele fosse examinado e, apesar de não emitir odor de álcool, Stephen parecia bastante confuso e incoerente. O mecânico também recusou ajuda, e disse estar com medo de ter entrado em contato com algum tipo de radiação e de infectar alguém.

Relatório do oficial da Polícia Montada

Mais tarde, quando já estava no hotel, Stephen sentia tanta dor por conta das queimaduras, que decidiu pedir ajuda. Após sua passagem pelo hospital, o mecânico finalmente voltou para casa, mas, estranhamente, ele teria pedido “carona” para os repórteres de um jornal. O canadense — depois de se recuperar completamente do encontro com a nave — ainda passou por uma bateria de exames físicos e psicológicos, mas nenhum problema mental foi detectado.

Além do contato com o jornal, outro fato que levantou suspeitas ocorreu no início das investigações, quando as autoridades pediram que Stephen as levasse ao local do incidente e ele foi incapaz de encontrá-lo. Alguns dias depois, o mecânico teria contatado os investigadores, dizendo que havia retornado no lugar do encontro e aproveitado para recolher vestígios e amostras do solo — algumas das quais testaram positivo para radiação.

Teorias

Um dos grupos que retornou ao local do incidente — com Stephen sendo o quarto da esquerda para a direita

Apesar de não existirem evidências sólidas que provem que o incidente tenha sido forjado, existem várias teorias sobre o que pode ter acontecido. Há quem afirme que Stephen provavelmente inventou a história toda depois de beber mais da conta e sofrer algum acidente bizarro. Além disso, como o mecânico demorou vários dias para entregar as amostras de solo, ele teria tido tempo suficiente para contaminá-las de alguma forma.

Com respeito à radiação detectada pelos médicos, uma explicação seria o fato de os relógios da época receberem uma camada de rádio — elemento radiativo — para que eles brilhassem um pouco no escuro. Nesse caso, quem garante que a medição não foi tomada próximo ao pulso do homem? Além disso, o local onde o incidente aconteceu foi visitado e vasculhado diversas vezes, mas ninguém (além de Stephen) encontrou nada fora do comum por lá.

E mais: apesar de Stephen garantir que havia coletado uma porção de vestígios, ele permitiu que os investigadores analisassem apenas uma minúscula fração deles. Sendo assim, por que um homem que tem acesso a provas consistentes de que uma nave potencialmente alienígena teria visitado o nosso planeta esconderia essas evidências? Diga aí, caro leitor, o que você acha?

*Publicado em 3/6/2015

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.