A polícia francesa pode obrigar mulheres mulçumanas a não usarem burkini?
720
Compartilhamentos

A polícia francesa pode obrigar mulheres mulçumanas a não usarem burkini?

Equipe MegaCurioso
Último Vídeo

Devido aos recentes atentados terroristas na França, as autoridades de diversas cidades proibiram o uso do burkini, que é a roupa de praia utilizada por mulheres mulçumanas. Por causa disso, na última terça-feira, 23, uma mulher foi obrigada a tirar o traje de banho enquanto tomava Sol na costa de Promenade des Anglais, em Nice.

As imagens feitas no dia mostram a chegada de quatro policiais ao redor da mulher, que estava deitada. Depois da abordagem, ela remove a túnica azul que cobria o corpo enquanto um policial faz anotações que parecem ser uma multa.

As fotos foram divulgadas por outra mulher que também foi abordada e multada por não estar usando “um traje respeitando os bons costumes e secularismo”. Ela disse que estava sentada em uma praia com a família, e que usava um véu clássico na cabeça, sem a intenção de entrar no mar.

Polêmica

Mathilde Cousin, que testemunhou a cena, confirmou que, enquanto a mulher era forçada a tirar a túnica, muitas pessoas gritavam para que ela fosse embora e muitas aplaudiam a atitude dos policiais: “sua filha estava chorando”, completou.

A proibição do burkini tem a ver com o ataque de caminhão que a cidade sofreu em 14 de julho, quando 86 pessoas foram mortas – 12 dias depois, um sacerdote católico também foi assassinado na região de Rouen. Até o momento, 15 cidades aderiram à proibição, e a atitude tem gerado um debate acalorado não apenas no país, mas em todo o mundo.

Por um lado, as autoridades que aceitaram a proibição afirmam que a medida busca proteger a população contra possíveis atentados terroristas; por outro, questiona-se os direitos dessas mulheres de irem à praia com a roupa com a qual se sentem mais confortáveis em termos sociais e religiosos. O que você pensa sobre o assunto?

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.