(Fonte da imagem: Reprodução/Dvice)

Freeman Anthony, um morador da cidade americana de Bellingham, teve uma ideia inusitada. Responsável por ampliar as calçadas, ele lembrou que recentemente um projeto havia trocado 400 privadas no município.

Para evitar que toda aquela porcelana fosse parar no lixo, ele conversou com os empreiteiros. Juntos, eles trituraram e misturaram ao concreto o que sobrou das privadas, criando um novo material que foi batizado por eles como “porticrete”.

A mistura rendeu: segundo Anthony, graças à adição da porcelana, o concreto aumentou em cerca de 20% e foi o suficiente para pavimentar 250 metros quadrados de calçadas. A cidade, que já era orgulhosa de sua sustentabilidade, prometeu que vai continuar. Segundo eles, novas ideias envolvendo o novo material já estão no papel, prontas para entrar em execução.

As calçadas construídas com o “porticrete” ainda renderam o prêmio de “Primeira Estrada Sustentável do Mundo”, concedido pela Universidade de Washington, além de colocar a cidade no mapa como um exemplo de sustentabilidade.