(Fonte da imagem: Reprodução/Wikipédia)

Uma quantidade abundante de bactérias vivas foi descoberta no Lago Vida, localizado na Antártida. De acordo com o site New Scientist, o lago subterrâneo se encontra sob uma camada de 20 metros de gelo, estando completamente isolado há quase três mil anos.

Segundo a publicação, as águas do lago são sete vezes mais salobras do que as do mar, encontram-se em total escuridão e a 13 graus abaixo do ponto de congelamento, e um grupo de pesquisadores descobriu as bactérias em um núcleo de gelo extraído de uma profundidade de 27 metros.

Bactérias super-resistentes

Os microrganismos pertencem a uma espécie desconhecida e provavelmente permaneceram vivos por tanto tempo graças à abundante quantidade de hidrogênio, carbono e óxidos de nitrogênio presentes no lago salgado, metabolizando essas substâncias na ausência de oxigênio. Os cientistas já estão desenvolvendo culturas em laboratório para poder entender as condições físico-químicas extremas que essas bactérias são capazes de tolerar.

A curiosa descoberta reforça a possibilidade de que possa existir vida em lagos subterrâneos de planetas como Marte ou de luas como a Europa, que orbita ao redor de Júpiter. Conforme explicaram os pesquisadores, o Lago Vida é um exemplo perfeito do que pode ocorrer quando um lago é congelado, e o mesmo pode ter ocorrido com águas extraterrestres.