Solteiro mais cobiçado do mundo está no Tinder à procura do amor
131
Compartilhamentos

Solteiro mais cobiçado do mundo está no Tinder à procura do amor

Equipe MegaCurioso
Último Vídeo

O Ol Pejeta Conservancy se uniu ao Tinder para lançar uma campanha para chamar a atenção para “O Solteiro mais Cobiçado do Mundo”: Sudan, o rinoceronte-branco que é literalmente o último da espécie. O objetivo é arrecadar os US$ 9 milhões necessários para protegê-lo da extinção. 

Sudan não é só o solteiro mais cobiçado, como também é um dos machos mais protegidos do planeta, cercado de guardas armados. Ele vive no Conservancy com duas rinocerontes, Najin e Fatu, mas os três não conseguiram procriar naturalmente por uma série de problemas, entre eles a idade avançada. Entretanto, existem outras 17 mil potenciais pretendentes rinoceronte-branco fêmeas. E é aí que entra o Tinder! 

“Somos parceiros do OI Pejeta Conservancy para dar a chance ao solteiro mais cobiçado do mundo de encontrar o seu match”, comenta Matt David, diretor-global de marketing e comunicação do Tinder. “Estamos otimistas, já que o perfil do Sr. Sudan será visto no Tinder em 190 países e em mais de 40 idiomas”, explica. 

Perfil de Sudan irá aparecer para usuários do Tinder em mais de 190 países

Última alternativa

O Conservancy pretende arrecadar fundos para completar a pesquisa em andamento sobre Técnicas de Reprodução Assistida. Isso ajudará a gerar gestações que gradualmente construirão um rebanho viável de rinocerontes-branco do norte. Se bem-sucedida, esta será a primeira vez que os cientistas conseguirão realizar reprodução artificial em rinocerontes. 

Richard Vigne, CEO da OI Pejeta Conservancy, explica que essa é a última opção para salvar a espécie depois que as outras tentativas de procriar se mostraram ineficientes. “A situação que os rinocerontes-branco do norte enfrentam é um sinal do impacto que a humanidade tem causado em milhares de outras espécies em todo o mundo”, acrescenta Vigne.

“Salvar o rinoceronte-branco do norte é fundamental se quisermos, um dia, reintroduzirmos a espécie na África Central”, explica Vigne. A pesquisa, que é conduzida atualmente pelos Estados Unidos, Alemanha e Japão, tem como objetivo formar um rebanho de 10 rinocerontes-branco do norte depois de cinco anos de fertilização in vitro. “O suporte financeiro ainda é o maior desafio deste projeto. Para ganhar esta corrida contra o tempo é crucial encontrar fundos o mais rápido possível”, afirma Steven Seet, diretor de comunicação da Leibniz-IZW, parte do consórcio de pesquisa. 

Sudan vive sob intensa proteção

Status da pesquisa

O Grupo Europeu do Rinoceronte-Branco do Norte, formado por especialistas internacionais em zoologia, reuniu-se em março deste ano para discutir os próximos passos para tirar a espécie dos ameaçados de extinção. Nos últimos dois anos, eles desenvolveram uma técnica conhecida como seleção de óvulos em rinocerontes-branco do sul.

Enquanto as primeiras etapas do desenvolvimento embrionário já foram alcançadas, os cientistas agora enfrentam um novo desafio para manter as células vivas por tempo suficiente para amadurecerem e serem fertilizadas. 

Entretanto, os cientistas estão otimistas que conseguirão colher e amadurecer ovócitos dos últimos rinocerontes-branco do norte em 2017. Se isso funcionar, serão selecionados óvulos da Najin e da Fatus. Uma vez fertilizadas, usando o sêmen armazenado, os embriões resultantes serão implementados em fêmeas hospedeiras da mesma espécie, na esperança de conquistar mais gestações de rinocerontes-branco. 

Sudan é o último macho de sua espécie

*Via assessoria

***

O Mega está concorrendo ao Prêmio Influenciadores Digitais, e você pode nos ajudar a sermos bicampeões! Clique aqui e descubra como. Aproveite para nos seguir no Instagram e se inscreva em nosso canal no YouTube.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.