Como cães e gatos enxergam o mundo? Jogo em 3D simula a visão dos animais
197
Compartilhamentos

Como cães e gatos enxergam o mundo? Jogo em 3D simula a visão dos animais

Último Vídeo

Você, assim como eu, já se perguntou como seu bichinho de estimação vê o mundo? Pois bem, agora você pode parar de divagar sobre o assunto e viver na pele um pouco da experiência que gatos e cachorros têm diariamente.

A Dassault Systèmes, empresa francesa de design tridimensional, criou uma simulação online que ganhou o nome de “All Eyes on Paris” e que contou com a ajuda do oftalmologista veterinário Didier Schmidt-Morand. No jogo, o usuário pode acompanhar a visão de cinco animais diferentes – gato, cachorro, rato, abelha e gavião – que passeiam pela Place Vendôme, em Paris, na França.

Devido às diferenças no campo de visão, na percepção das cores e na visão noturna, por exemplo, o sentido dos animais pode variar drasticamente. O desafio do jogador é driblar as restrições visuais dos bichinhos para acumular mais pontos.

O jogo foi criado a partir de modelos virtuais já existentes da praça francesa aos quais foram aplicados efeitos com base nas descrições científicas da visão de cada um dos animais selecionados. O software permite que a cena seja modificada a partir de mudanças nas cores, alterações na nitidez, diferenças no ângulo de visão e troca da profundidade do campo.

Novas perspectivas

Embora seja relativamente simples recriar visões que sejam inferiores à humana – como a de gatos e cães, por exemplo, que têm dificuldades para distinguir tons de vermelho –, replicar características que não conseguimos enxergar foi um desafio. Os gaviões têm uma visão mais detalhada do que a nossa, enquanto os cachorros enxergam movimentos com mais facilidade e têm um campo de visão maior, como é possível notar na imagem de abertura da matéria.

A visão dos ratos também reflete a realidade – por não enxergarem qualquer coisa que esteja a mais de 15 centímetros de distância, os ratos costumam se moverem próximos a paredes para ajudar na navegação. “Um rato nunca se jogaria no meio de uma área aberta”, explica Schmidt-Morand. Por esse motivo, a simulação desse animal traz um mapa no canto superior para ajudar a determinar a posição do rato, já que a maioria dos pontos importantes não pode ser vista.

O jogo tem um propósito educacional, por isso os usuários podem discutir suas experiências com outros jogadores em uma comunidade apresentada no próprio site. De acordo com o New Scientist, se houver interesse de escolas e zoológicos, a equipe espera poder desenvolver simulações da visão de outros animais.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.