Você deve ter ficado sabendo do enorme bloco de gelo que estava para se desprender da Antártida e formar um dos maiores icebergs já registrados na História, certo? Nós do Mega Curioso chegamos a publicar informações a respeito desse assunto por aqui — você pode conferir a matéria através deste link —, mas, resumidamente, se tratava de uma imensa porção que estava para se soltar da plataforma de gelo Larsen C.

Os cientistas estavam acompanhando o rompimento desse bloco de gelo há vários meses e, durante as últimas semanas, a vigília se intensificou. Pois agora começaram a circular informações de que ele finalmente — ou seria melhor dizer infelizmente? — se desprendeu. Segundo as notícias divulgadas até o momento, isso aconteceu em algum momento entre segunda-feira, dia 10 de julho, e hoje, dia 12.

Mega iceberg

Segundo os pesquisadores do Projeto MIDAS, que estavam acompanhando a situação na plataforma de gelo, o desprendimento do bloco foi confirmado por meio de imagens capturadas pelo satélite Aqua da NASA hoje pela manhã. De acordo com as estimativas, o iceberg que se formou conta com 5,8 mil quilômetros quadrados — isto é, ele tem tamanho equivalente ao Distrito Federal! —, pesa mais de um trilhão de toneladas e provavelmente será batizado de A68.

NASA/Worldview

Os cientistas explicaram que, apesar do imenso volume, como o bloco de gelo já estava flutuando antes de se desprender, agora que ele finalmente se soltou da plataforma, o iceberg resultante não deve oferecer nenhum impacto imediato no nível do oceano. No entanto, é óbvio que nem tudo são boas notícias.

Problemas a vista

Na verdade, apesar de a fase final de rompimento dessa imensa porção de gelo ter sido acompanhada por vários meses, os cientistas vinham monitorando a situação na plataforma Larsen C há vários anos. Segundo explicaram, com o desprendimento, além de a paisagem da Península Antártica sofrer uma grande mudança em sua paisagem, a plataforma sofrerá uma redução em mais de 12% de sua área.

Ademais, estudos apontaram que o desprendimento do bloco gelo deixa a plataforma Larsen C em uma situação de extrema fragilidade, uma vez que ele funcionava como uma barreira de contenção que ajudava a “segurar” o fluxo dos glaciares que se movem do continente em direção ao mar.

NASA/USGS Landsat

Sendo assim, o rompimento dessa frente de contenção pode levar ao colapso da plataforma — e o problema é que, se outra barreira não se formar (o que é uma possibilidade quando consideramos o aquecimento global) o derretimento desse gelo todo que correrá “solto” em direção ao oceano pode levar ao aumento do nível dos mares.

Com relação ao imenso iceberg, os cientistas disseram que é difícil prever o que acontecerá com ele. Ninguém sabe dizer com certeza se o bloco manterá em uma única peça ou se ele se romperá em muitos pedaços, por exemplo, e, caso a fragmentação aconteça, os especialistas acreditam que uma parte do gelo pode permanecer próximo à plataforma durante décadas.

Contudo, existe a possibilidade de que outra parte dos fragmentos do iceberg migre para o norte, chegando, inclusive, até as imediações das Ilhas Malvinas, um território britânico que se encontra próximo à costa da Argentina, o que representaria um risco para o tráfego marítimo na região.