Confirmado: naufrágio descoberto em 2015 contém tesouro de US$ 17 bilhões
458
Compartilhamentos

Confirmado: naufrágio descoberto em 2015 contém tesouro de US$ 17 bilhões

Último Vídeo

Conforme já comentamos em uma matéria aqui do Mega Curioso, o Império Espanhol, no ápice de seu poder, chegou a dominar o equivalente a 13% de toda a área continental do planeta, estabelecendo colônias na Europa, na Ásia, na África, na Oceania e, é claro, nas Américas.

A Espanha conseguiu conquistar tudo isso, em grande parte, por estar à frente de uma das maiores potências navais da História, e só começou a perder espaço quando a França e a Inglaterra decidiram entrar na competição pela dominação mundial. Pois um antigo galeão espanhol que foi afundado pelos britânicos há 300 anos, na época em que as “águas” começaram a ficar mais conturbadas, foi encontrado no fundo do mar do Caribe em 2015.

San Jose

De acordo com o portal de notícias ABC News, se trata de um famoso galeão espanhol chamado San Jose — que há décadas era procurado por caçadores de tesouros de várias partes do mundo. Considerada como uma espécie de “santo graal” dos antigos naufrágios, a lendária embarcação estava carregada com ouro, prata e pedras preciosas quando afundou, em 1708. 

Atualizado em 23/05/2018: após 2 anos e meio de pesquisas, finalmente o navio foi confirmado como sendo o San Jose.

O galeão foi finalmente encontrado no dia 27 de novembro de 2015 próximo à Cartagena, na Colômbia, e o anúncio foi feito pelo governo do país. O próprio presidente colombiano, Juan Manuel Santos, se manifestou a respeito do achado, dizendo que o tesouro localizado é o mais valioso já descoberto na História da Humanidade.

Tesouro submerso

Segundo Nina Golgowski, do portal The Huffington Post, o navio transportava uma carga — hoje — estimada em US$ 17 bilhões em ouro e prata, destinada a ajudar financiar a França em sua guerra contra a Inglaterra. E isso que a “cotação” do tesouro caiu drasticamente devido à desvalorização da prata ao longo dos séculos!

Para você ter uma ideia, de acordo com uma estimativa apresentada pela Sea Search Armada, uma companhia norte-americana especializada na busca de embarcações naufragadas, quando afundou, o San Jose transportava uma fortuna superior à renda anual da Espanha na época, ou seja, um montante calculado em mais de US$ 50 bilhões.

Briga bilionária

A embarcação foi encontrada tombada sobre uma de suas laterais, e os especialistas conseguiram confirmar que se tratava do San Jose após identificar os canhões de bronze entalhados com golfinhos do galeão. No entanto, antes mesmo de a descoberta acontecer, ela já estava envolta em uma acalorada batalha judicial, iniciada no final da década de 80.

Acontece que a Sea Search Armada, a companhia que apresentou a estimativa relacionada com o valor do tesouro, vem ativamente tentando localizar o San Jose desde o início dos anos 80 e, desde então, investiu vários milhões de dólares tentando encontrar o galeão e defendendo os direitos da companhia sobre a carga do navio.

Na verdade, os problemas legais começaram depois que a Sea Search Armada fez um trato com o governo colombiano de dividir o que fosse resgatado do fundo do mar. Só que, após compartilhar as coordenadas do local onde a companhia acreditava que o galeão havia naufragado, os colombianos voltaram atrás e proibiram os norte-americanos de visitar o local e, inclusive, ameaçaram empregar o Exército caso as ordens não fossem respeitadas.

Segundo o ABC News, para encontrar o local do naufrágio, um time de especialistas — formado por pesquisadores colombianos e de outros países — estudou as condições dos ventos e das correntes marítimas do século 18, além de investigar os registros coloniais, tanto colombianos como espanhóis.

Durante a “varredura”, pelo menos outras cinco embarcações foram localizadas pelos especialistas, mas acredita-se que mais de mil navios naufragados se encontrem sob o mar do Caribe, próximo à costa da Colômbia — dos quais entre 6 e 10 podem conter grandes tesouros. #PartiuMergulhar?

*Publicado em 7/12/2015

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.