Conheça 5 projetos arquitetônicos extremamente bizarros
84
Compartilhamentos

Conheça 5 projetos arquitetônicos extremamente bizarros

Último Vídeo

Se você analisar a história arquitetônica mundial, vai perceber algumas coisas: certos países têm uma arquitetura própria, o que acaba atuando na identidade cultural de cada lugar; há muito tempo – muito mesmo! – o homem busca formas novas, eficazes e criativas de aprimorar o visual do local onde vive; e, claro, boas doses de criatividade são sempre bem-vindas quando o assunto é projetar casas, prédios, salões e afins.

A criatividade, porém, nem sempre é compatível com a realidade e, em alguns casos, certos projetos acabam chamando a atenção pelo fator “absurdo” da coisa. Confira alguns exemplos:

1 – Navio da Liberdade

A ideia foi proposta nos anos de 1990, acompanhada de um conceito inovador que propunha nada mais nada menos que a construção de uma cidade totalmente independente e flutuante. O conceito era basicamente viajar pelo mundo, mas se sentindo em casa ou, na menos reservada das hipóteses, em um condomínio luxuoso distribuído em 25 andares.

O navio deveria ter sua própria economia, com centros de compras, escolas, hospitais, empregos e tudo o que é necessário para a formação de uma sociedade. A embarcação circularia pelo mundo inteiro e faria paradas nos portos mais famosos. E aí já temos o primeiro problema: com seus 1,3 km de extensão, o navio não caberia em nenhum porto do mundo. Para chegar até algumas cidades em terra, os moradores deveriam usar o aeroporto do navio e voar até seus destinos.

O projeto grandioso nunca saiu do papel por motivos meio óbvios: além da fortuna necessária para construir o navio – estamos falando de 10 bilhões de dólares –, seria preciso convencer 50 mil pessoas de que morar em alto-mar seria uma boa ideia. Você teria coragem de largar tudo para viver em um navio?

2 – O domo de Manhattan

Sabe quando a cidade de Springfield é coberta por uma cúpula gigante no filme Os Simpsons? Era mais ou menos isso o que um projeto audacioso queria fazer na década de 1960, quando o arquiteto Buckminster Fuller teve a ideia de colocar um domo sobre a cidade de Nova York.

A estrutura seria suficiente para cobrir a maior parte de Manhattan e filtrar a poluição do ar. Além disso, nenhum dos prédios que ficassem cobertos pelo domo precisariam ser aquecidos no inverno ou refrigerados no verão, afinal a cúpula estaria ali para garantir uma temperatura constante e agradável.

Fuller queria descobrir uma maneira de tirar seu projeto do papel e ajudar a cidade a economizar dinheiro com aquecimento, refrigeração e remoção de neve. Apesar de sua boa vontade, ninguém comprou a ideia do cara. O custo de uma estrutura como essa seria enorme e ninguém poderia garantir se o esquema funcionaria perfeitamente. Ou seja: não deu.

3 – A casa de Sutyagin

Até agora você conheceu algumas histórias sobre grandes projetos arquitetônicos absurdos, mas nem sempre a bizarrice da coisa está em construções gigantescas. A casa que você vê na imagem acima começou a ser construída em 1992, quando Nikolar Sutyagin não estava feliz com o tamanho de sua casa em Arkhangelsk, na Rússia. E por isso ele decidiu incrementar seu lar doce lar.

Sutyagin acabou criando a casa de madeira mais alta do mundo, com 13 andares e 44 metros de altura. Para começar, ele adicionou “apenas” três andares, mas não gostou do resultado. Então ele adicionou mais andares e, mesmo assim, parecia nunca estar satisfeito com o que via.

No meio do caminho, ele acabou sendo preso e, depois de deixar a cadeia, já não tinha como bancar suas extravagâncias arquitetônicas. Aos poucos a casa foi apodrecendo e partes dela, desabando.

A prefeitura da cidade considerou o local perigoso e com risco de incêndio, ordenando que o homem desativasse a residência e a demolisse. Em vez disso, ele decidiu criar um espaço metálico sobre a casa, alegando que tudo o que havia embaixo era decorativo. A prefeitura não aceitou os argumentos dados por Sutyagin e ordenou que o homem desmontasse sua casa. Hoje em dia apenas a residência original está lá, e se não fossem as fotos, ficaria difícil de acreditar nessa história.

4 – A fazenda vertical

Não são todos os lugares do mundo que têm espaço suficiente para a produção rural, e foi pensando em uma forma de resolver esse problema que o conceito de uma fazenda vertical foi criado. A ideia era basicamente plantar diferentes culturas em arranha-céus.

Fazendas verticais, de fato, resolveriam muitos problemas se fossem viáveis. Estima-se que 80% das pessoas viverão em áreas urbanas até 2050 – o percentual atual é de 60.

A ideia desse tipo de agricultura é boa e provavelmente seria capaz de suprir as necessidades futuras, quando a falta de pessoas em áreas rurais acarretaria em uma diminuição do cultivo de produtos agrícolas. O problema do projeto é que, infelizmente, ainda não existe tecnologia suficiente para tirá-lo do papel.

5 – O Mundo

A nomenclatura ambiciosa do projeto já diz muito a respeito do que ele propôs: criar ilhas em formato dos continentes da Terra na costa de Dubai. E isso foi feito com a esperança de que logo tudo seria vendido e habitado.

Atualmente apenas uma das ilhas é habitada – uma parte da Greenland, que é propriedade do governo de Dubai. O projeto foi tirado do papel, mas está estagnado há tanto tempo que as outras ilhas estão simplesmente se deteriorando e indo para o fundo do mar.

O Mundo está desmoronando e, se nenhuma atitude for tomada, o projeto será diluído pela água inteiramente. Aproximadamente 70% das ilhas foram vendidas. Um dos compradores é David Beckham.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.