(Fonte da imagem: iStockphoto)

Segundo um grupo de pesquisadores da Universidade de Illinois em Chicago, pessoas que se envolvem em artes — principalmente aquelas que não desenvolvem nenhum dom além de admirar os trabalhos dos mais talentosos — costumam ser mais altruístas, tolerantes e mais envolvidas com a sociedade.

De acordo com o pessoal do Discovery News, os pesquisadores chegaram a essa conclusão depois de analisar informações obtidas através de um levantamento nacional realizado nos Estados Unidos com 2.765 adultos, selecionados aleatoriamente.

Maior envolvimento social

Os estudiosos mediram o envolvimento dessas pessoas com organizações como associações de vizinhos, organizações religiosas, fraternais, esportivas, grupos de caridade, partidos políticos, associações profissionais, voluntariado e até mesmo sindicatos.

Depois de determinar os níveis de tolerância social (através da análise da aceitação de aspectos como orientação sexual e racismo, por exemplo) e de altruísmo (por meio da análise de dados relacionados à doação de sangue ou de prestar favores aos demais), os pesquisadores cruzaram essas informações com respostas relacionadas às artes.

Segundo as avaliações, os cidadãos mais expostos aos diferentes tipos de arte — como frequentar museus, eventos musicais, ir ao teatro etc. — também são os mais envolvidos socialmente com as suas comunidades. Bem que os governos podiam investir mais nesse tipo de atividades, não é mesmo?

Fontes: UIC e Discovery News