Cosméticos livres de ingredientes de origem animal
Seja o primeiro a compartilhar

Cosméticos livres de ingredientes de origem animal

Equipe MegaCurioso
Último Vídeo

Para muitas pessoas que seguem um estilo de vida alternativo, a privação do uso de ingredientes de origem animal vai além da alimentação. Os veganos – que se diferenciam dos vegetarianos – são pessoas que optam por viver completamente livres de qualquer produto que tenha em sua composição ingredientes animais. Isso significa abrir mão não somente da ingestão de carne, mas também de ovos, leite e mel.

E o veganismo se estende até os itens de higiene, com cosméticos cuidadosamente escolhidos; medicamentos, que não devem passar por testes em animais e também o vestuário, que procura não ter peças de couro, pele, lã e seda, além de acessórios com penas ou ossos e assim por diante – é realmente um estilo de vida.

Mas você não precisa ser vegano – nem se tornar um – para ajudar os animais e o meio ambiente. O simples fato de optar por um produto que não contenha nenhum composto de origem animal ou, ainda, dar preferência às empresas que não testam seus produtos em animais já é um bom começo.

Os cosméticos e os animais

Nós sabemos que a natureza está farta de compostos que podem contribuir na busca da beleza. Cabelos sedosos, uma pele hidratada e unhas impecáveis costumam ser conquistados com uma ajudinha dos cosméticos. Mas o que geralmente esquecemos é que os animais fazem parte da natureza e boa parte dos produtos que usamos diariamente para ficarmos ainda mais bonitas estão repletos de compostos animais ou passaram por testes laboratoriais que, muitas vezes, envolvem o sofrimento dos bichinhos.

É importante ficar atenta aos produtos, pois todos os compostos presentes na fórmula podem ser extraídos de fontes vegetais ou possuem equivalentes que não são de origem animal. Confira aqui uma lista com os 25 ingredientes de origem animal mais utilizados na indústria dos cosméticos:

  • Ácido Esteárico (Stearic Acid)
  • Ácido Hialurônico (Hialuronic Acid)
  • Ácido Lático
  • Álcool Cetílico (Cetyl Alcohol)
  • Aminoácidos (Amino Acids)
  • Biotina, Vitamina H, Vitamina B
  • Carmim, Cochonilha, Ácido Carmínico (Carmine, Cochineal, Carminic Acid)
  • Caroteno, Provitamina A, Betacaroteno
  • Cera de Abelha, Geleia Real, Mel, Pólen, Própolis (Bee Wax, Royal Gelly, Honey, Pollen)
  • Colágeno (Collagen)
  • Elastina (Elastin)
  • Esterol (Stearyl Alcohol Sterols)
  • Esteroide, Esterol (Steroids Sterols)
  • "Fontes Naturais" (Natural Sources)
  • Glicerina, Glicerol (Glycerine, Glycerol)
  • Gorduras, Sebo ou Óleos Animais
  • Lanolina (Álcool de Lanolina Acetilado)
  • Panthenol, Dexpanthenol, Panthenyl, Vitamina B- Provitamina B-5
  • Pó ou Proteínas da Seda (Silk)
  • Queratina (Keratin)
  • Ureia, Carbamida, Ácido Úrico (Urea, Carbamide)
  • Vitamina A ou Retinol
  • Vitaminas do Complexo B
  • Vitamina D, Ergocalciferol, Vitamina D-2, Ergosterol, Provitamina D-2, Calciferol, Vitamina D-3
  • Vitamina H

Originalmente, essa lista é bem maior. Você pode conferir essas substâncias com mais detalhes no site do PEA – Projeto Esperança Animal, o equivalente brasileiro do PETA – People for the Ethical Treatment of Animals.

A indústria de cosméticos

Provavelmente você reconhece muitos dos compostos acima sem nem mesmo precisar ler os rótulos dos produtos que utiliza diariamente. Mas isso não significa necessariamente que eles são de origem animal. O crescimento do veganismo no mundo fez com que as empresas dedicassem estudos e investissem em tecnologia para desenvolver produtos sem compostos animais na fórmula. Se a empresa for cruelty free, você pode ficar tranquila e usar seu cosmético sem medo, já que nenhum animalzinho foi sacrificado para fabricar o produto.

No Brasil, aos poucos algumas marcas estão começando a abrir mão dos testes em animais. Já na União Europeia, existe uma lei que proíbe as empresas de comercializarem produtos que são testados em animais. Algumas marcas famosas (como a Johnson & Johnson, a L’Oreal e a Unilever) ainda não seguem a regulamentação e o prazo para as empresas se enquadrarem se encerra em 2013.

Fique de olho em algumas empresas cruelty free:

Nacionais

  • Bioderm
  • Condor
  • Contém 1g
  • Davene
  • Ecologie
  • Éh Cosméticos
  • Embelleze
  • Granado
  • Impala
  • Mahogany
  • Natura
  • Nazca
  • Niasi
  • O Boticário
  • Ox
  • Racco
  • Surya Brasil
  • Vita Derm
  • Yamá

Internacionais

  • Chanel
  • Clarins
  • Clinique
  • Estée Lauder
  • Garnier
  • Herbalife
  • M.A.C.
  • Payot
  • Revlon
  • Victoria's Secret

No exterior, alguns órgãos regulamentam as empresas e emitem selos que validam os produtos como vegan-friendly. Para saber se um produto é realmente vegano, basta procurar pelos selos “Cruelty Free”, emitido pelo PETA, ou o “Certified Vegan”, liberado pela Vegan Action.

Selo "Cruelty Free", emitido pelo PETA. Fonte: Divulgação

Infelizmente, no Brasil não existe nenhuma instituição que preste esse tipo de serviço. O PEA recomenda àqueles que desejam obter informações sobre determinados produtos que entrem diretamente em contato com o Serviço de Atendimento ao Cliente das marcas para solicitar dados sobre a composição dos produtos.

O crescimento do mercado vegano

Com o aumento das pessoas que optam por seguir uma dieta vegetariana ou vegana no mundo, as indústrias têm se visto cada vez mais na obrigação de adequar seus produtos a novas fontes e fórmulas que dispensem o uso de ingredientes animais e testes laboratoriais que não envolvam bichinhos.

Mas enquanto algumas empresas se enquadram nesse modelo, outras já nascem com uma mentalidade eco-friendly e desde o começo pensam em meios alternativos para desenvolver cosméticos que não oferecem riscos para os animais, nem para nossa saúde: esse é o caso das brasileiras Surya Brasil e Ecologie Cosméticos.

Todos os produtos desenvolvidos pela Surya Brasil possuem ingredientes vegetais. São linhas completas de shampoos e condicionadores à base de ingredientes naturais como canela, coco e laranja. E para se certificar da eficácia dos cosméticos, a empresa utiliza produtos que não oferecem nenhum risco à saúde dos voluntários para realizar testes em centros de pesquisas especializados.

Outra empresa amiga dos animais é a Ecologie Cosméticos, que importa ingredientes vegetais há 25 anos e assim evita o uso de compostos de origem animal. Com o passar dos anos e o crescimento da indústria, a marca passou a desenvolver pesquisas e estudos que têm como resultado cosméticos à base de ingredientes naturais. A linha de produtos capilares foi criada a partir do extrato de frutas e plantas como banana, alecrim, chá verde, romã e muitos outros. Já os produtos para os cuidados com o corpo contêm extrato de semente de algodão, algas, pêssego e frutas vermelhas.

Essas e muitas outras empresas que já começaram a se mobilizar para criar produtos com consciência ambiental estão citadas no Guia Vegano. Além de elencar uma lista das empresas de cosméticos vegan-friendly, o site se preocupa em disponibilizar informações sobre produtos de higiene e de limpeza, farmacêuticos, roupas e, é claro, alimentos. Vale a pena conferir as informações do guia antes de comprar um produto.

Confira na galeria algumas sugestões de cosméticos veganos.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.