(Fonte da imagem: Reprodução/Wikipedia)

De acordo com uma notícia publicada pelo site WIRED, estudantes das Universidades Brown e Stanford, nos Estados Unidos, estão desenvolvendo um micróbio sintético capaz de sobreviver às duras condições de vida do espaço.

Para desenvolver a Hell Cell (ou “célula do inferno”, em tradução livre), os pesquisadores estão utilizando o material genético de outros microrganismos — conhecidos como extremófilos —, capazes de sobreviver em condições extremas.

Micróbio de mil e uma utilidades

O objetivo dos cientistas é criar um micróbio sintético a partir das características genéticas mais resistentes presentes nos extremófilos, para que esses novos microrganismos possam realizar tarefas relacionadas à biomineração, produção de medicamentos e ao cultivo de alimentos, por exemplo.

Com isso, os pesquisadores afirmam que a exploração espacial se tornaria mais viável, já que esses micróbios são muito mais facilmente transportados e permitiriam a construção de estruturas e o desenvolvimento de vida em outros planetas. Para saber mais sobre o desenvolvimento da Hell Cell, você pode visitar o site do projeto através deste link.

Fontes: IGEM e WIRED