Bonitinha e perigosa: joaninha-arlequim é uma ameaça biológica
397
Compartilhamentos

Bonitinha e perigosa: joaninha-arlequim é uma ameaça biológica

Último Vídeo

Milhares de espécies de insetos estão ameaçadas nas regiões do Reino Unido devido a um tipo de joaninha. Introduzida no habitat em 2004 para controle biológico na resolução da praga de pulgões, dos quais ela se alimenta, a joaninha-arlequim proliferou exageradamente, gerando um impacto ambiental negativo.

Isso porque esse inseto passou a competir com outras espécies de joaninhas do ecossistema britânico, causando a morte delas e declínio de reprodução dos tipos nativos. Esse fato pode prejudicar o processo de toda uma cadeia alimentar dos locais infestados.

Essa proliferação da espécie arlequim na região tem sido causada porque a predadora se alimenta de larvas de outros insetos e joaninhas, além de carregar consigo um parasita mortal que vive inofensivamente em seu corpo, mas que contamina as outras espécies.

Não é por mal

Fonte da imagem: Reprodução/Guardian

Antes que você saia por aí julgando esse inseto tão bonitinho, saiba que a joaninha-arlequim se tornou uma predadora perigosa sem querer. Por serem mais fortes que as suas “parentes” britânicas, elas acabam se dando melhor na competição da busca por alimento e só estão na região porque foram transportadas pelo homem até lá — a espécie é originária da Ásia Oriental.

No entanto, o que era para ajudar a combater a praga do pulgão acabou como um novo problema para o meio ambiente da Grã-Bretanha. Apesar do estrago que o inseto vem fazendo nas populações de joaninhas nativas, pesquisadores da Universidade de Cambridge afirmam que os inimigos naturais do tipo arlequim, como moscas e vespas, já estão se adaptando para atacar a espécie asiática.

Além dessa solução da própria natureza, os cientistas apostam também em um ácaro sexualmente transmissível que provoca infertilidade em joaninhas fêmeas. Os métodos artificiais para disseminar o ácaro já estão sendo estudados por especialistas da Universidade de Cambridge. 

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.