Terror: fotos antigas e assustadoras de pacientes de cirurgia cerebral
1.227
Compartilhamentos

Terror: fotos antigas e assustadoras de pacientes de cirurgia cerebral

Último Vídeo

Cirurgias de cérebro já não são algo agradável de assistir atualmente. Mesmo com toda a tecnologia disponível, as imagens podem assustar as pessoas de coração mais fraco. Contudo, a maioria dos pacientes sai sem qualquer sequela da cirurgia, o que é muito bom. Mas já imaginou como tudo isso acontecia entre 1900 e 1930?

Estudantes da Universidade de Yale encontraram no porão do campus milhares de fotos em preto e branco, que pertenciam ao Dr. Harvey Cushing, um neurocirurgião pioneiro que morreu em 1939. A surpresa maior apareceu quando eles notaram que as imagens formavam uma coleção centenária dos primeiros pacientes da cirurgia cerebral moderna.

No total, são 10 mil imagens de pessoas com os mais diferentes problemas cerebrais que precisaram de uma cirurgia. "A imagens foram capturadas para propostas de diagnóstico como parte do Cushing Tumor Registry", disse Terry Dagradi, coordenador do Cushing Center. Agora, elas devem ser digitalizadas.

A coleção não é agradável de se ver: ela é composta por fotos de bebês com crânios alongados, cabeças cheias de cicatrizes e pacientes com problemas sérios. Muitos deles posavam com as mãos segurando o peito. Isso acontecia porque, na época, os doutores acreditavam que as mãos poderiam ajudar a determinar a saúde — muitas desordens e doenças internas podiam se manifestar externamente, como deformidades, nódulos e cor da pele fora do normal.

A coleção de Yale não é composta apenas de fotos e muitos cérebros antigos ainda estão conservados. Um dos mais famosos é do Major Genereal Leonard Wood, um amigo de Theodore Roosevel, que morreu nos primeiros anos de 1900.

Infelizmente, muitas informações se perderam no caminho: Terry Dagradi acredita que apenas 2,5 mil fotos foram catalogadas completamente.

Abaixo, na galeria, você acompanha mais imagens descobertas pelos alunos.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.