Entenda como designers de som recriaram o inconfundível urro do Godzilla
61
Compartilhamentos

Entenda como designers de som recriaram o inconfundível urro do Godzilla

Último Vídeo

Tão assustador quanto os estragos que Godzilla já causou por aí são os seus urros inconfundíveis. De acordo com Erik Aadahl, designer de som responsável pelo remake do longa-metragem, trata-se do “efeito sonoro mais importante da história do cinema”.

Podemos dizer que Aadahl e seu co-designer Ethan Van der Ryn são especialistas em sonorizar cidades que voam pelos ares, afinal, a dupla trabalhou no filme e na continuação de “Transformers”. A partir daí, eles começaram a pensar em uma estratégia para recriar o som do monstro de maneira que ele fosse reconhecível e ao mesmo tempo estivesse de acordo com a versão mais moderna.

Em geral, o trabalho dos designers de som acontece apenas nas etapas de pós-produção de um filme. Porém, no caso de “Godzilla”, os produtores queriam ter o som pronto para poder trabalhar no visual do monstro.

Então eles decidiram estudar o som utilizado nos filmes japoneses e descobriram coisas interessantes. “O principal elemento é esse chiado metálico acompanhado de um som de terra se despedaçando”, explica Aadahl. Depois de experimentar bastante, a dupla resolveu colocar gelo seco em um tubo de ventilação metálico que vibraria e geraria um som conforme o gelo passasse do estado sólido ao gasoso. “Melhoramos o efeito com alguns sons de rochas sendo moídas”.

Para construir o rugido do monstro, os especialistas partiram do som produzido por uma baleia, mas essa alternativa não funcionou. “Eventualmente, nós arrastamos um pedaço gigante de madeira em um chão polido”, revelam Aadahl e Van der Ryn. A dupla acabou gravando em um set da Warner Bros., em Nova York, para garantir que o som reverberaria de maneira realista.

“Projetamos o som em um autofalante de 3,6 metros de altura por 5,4 metros de largura e 100 kilowatts, e recebemos uma ligação da Universal Studios do outro lado da cidade perguntando o que estávamos fazendo”, conta Aadahl. A partir daí, podemos ter uma noção da potência que a fera terá nas salas de cinema.

O resultado do trabalho dos designers de som poderá ser conferido em breve, já que a estreia da nova versão de “Godzilla” está marcada para amanhã, 15 de maio. Para aumentar ainda mais a curiosidade, fique com o trailer do filme:

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.