9 fatos que você não sabe sobre “Clube da Luta”
76
Compartilhamentos

9 fatos que você não sabe sobre “Clube da Luta”

Último Vídeo

Em julho deste ano a revista The Hollywood Reporter divulgou uma lista com os 100 melhores filmes na opinião de diretores, produtores, empresários e cineastas envolvidos com grandes produções. A lista reuniu aqueles que seriam, então, os 100 melhores filmes para quem realmente entende de cinema. “Clube da Luta”, de 1999, ficou na 40ª posição. O Mental Floss fez uma publicação especial, com curiosidades sobre esse clássico. Confira algumas delas a seguir:

1 – A ideia da história

Chuck Palahniuk ficou inspirado em escrever o livro “Clube da Luta” depois de participar de uma briga de verdade. Palahniuk estava em um acampamento quando reclamou do volume da música ouvida por algumas pessoas nas barracas ao lado. A reclamação acabou virando uma briga e o escritor foi nocauteado.

2 – Financeiramente falando

O salário de Brad Pitt foi sete vezes mais alto do que o dos outros atores do filme. Só com essa produção, o marido de Angelina Jolie faturou US$ 17,5 milhões. O galã foi escolhido no lugar de Russell Crowe, que estava entre as opções de atores para interpretar Tyler Durden. O salário de Edward Norton foi de US$ 2,5 milhões.

3 – Situação constrangedora

Quando o diretor David Fincher procurava uma atriz para interpretar Marla, ele acabou considerando a premiada Julia Louis-Dreyfus, que, em uma reunião com Fincher, não sabia quem ele era. Em uma entrevista na época, o diretor disse ter se sentido um perdedor ao perceber que a atriz não o havia reconhecido.

Entre as atrizes consideradas para viver Marla Singers, antes de Helena Bonham Carter, estão Jeneane Garofalo, que negou o papel por se sentir “desconfortável”; Courtney Love, que acabou não fazendo parte do elenco porque estava envolvida com Edward Norton; e Reese Witherspoon, que não ficou com o papel por ser considerada jovem demais.

4 – Treino

Pitt aceitou ter um pedaço de seu dente arrancado para interpretar Tyler Durden. Além disso, ele e Norton tiveram aulas de boxe e taekwondo. Para melhorar, os dois assistiram a muitas horas de lutas marciais.

5 – A presença do Starbucks

David Fincher já falou sobre o assunto: há pelo menos um copo de Starbucks em cada cena do filme. A empresa concordou em aparecer em praticamente todas as cenas, exceto na última, quando uma cafeteria é completamente destruída. Nessa ocasião, o nome do estabelecimento não é Starbucks, mas Gratifico Coffee.

6 – Bob

O cantor e ator Meat Loaf, que interpretou Bob, vestia uma capa de quase 50 kg para ficar mais gordinho. A capa era preenchida com uma espécie de alpiste, para ficar com a característica de uma pele flácida. Bob foi o único a lutar usando uma camiseta, o que era uma violação das Seis Regras do Clube da Luta.

7 – Reação

Quando Norton dá um soco no ouvido de Tyler Burden, a reação de Brad Pitt foi real. A cena em questão é a de quando O Narrador está aprendendo a lutar. Teoricamente, Norton deveria dar um soco leve no ombro de Pitt, mas, antes de filmarem a cena, o diretor cochichou para Norton e pediu para que ele acertasse o ouvido de Pitt. A reação foi, então, real, e a frase “você me acertou na orelha?” ficou ainda mais icônica.

8 – Pegadinha do malandro

Em comemoração aos 15 anos de estreia do filme, a versão Blu-ray foi lançada com uma pegadinha curiosa: na tela inicial, em vez da abertura esperada, o menu apresentado é o do filme “Nunca Fui Beijada”. A ideia da brincadeirinha foi do próprio David Fincher.

9 – O maior spoiler

A atriz e apresentadora Rosie O’Donnell assistiu à pré-estreia do filme e resolveu fazer alguns comentários em seu programa de televisão. Na ocasião, ela disse ter odiado o longa, pediu para que ninguém de sua plateia assistisse e simplesmente contou o final do filme. Em rede nacional. Brad Pitt mais tarde comentou o ocorrido e disse que ela tinha todo o direito de não gostar do filme, mas que contar o final num programa de televisão foi simplesmente imperdoável.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.