(Fonte da imagem: Thinkstock)

O Instituto para Pesquisas sobre Neve e Avalanches da Suíça — uma renomada instituição na qual os cientistas se dedicam a estudar a estrutura dos cristais de gelo e neve para entender e prevenir desastres — decidiu aplicar seu conhecimento e tecnologia para melhorar a qualidade de um elemento congelado muito mais interessante: o sorvete, claro!

Avalanches e sorvete

Em uma parceria com a Nestlé, eles desenvolveram um projeto para melhorar o ciclo de vida dos sorvetes, buscando entender como os cristais de gelo dos produtos se comportam. Eles levaram o alimento para o laboratório e aplicaram tecnologias como a microtomografia e raios X para monitorar a modificação no formato dos cristais, assim como dos demais ingredientes, avaliando as condições do produto em diversas temperaturas.

Você já deve ter percebido que os potes de sorvete que são deixados por muito tempo no freezer acabam formando uma camada áspera e de textura mais dura na superfície. Isso ocorre devido ao ciclo de temperatura do equipamento, que tenta manter o mesmo nível, mas não é muito eficiente. Essa variação faz com que os cristais de gelo presentes no sorvete se fundam, deixando o produto menos cremoso e com aquela aparência pouco convidativa.

Quem ganha é o consumidor

Os pesquisadores identificaram o problema, e a melhor solução é aprimorar o desempenho de freezers e geladeiras para manter a integridade dos sorvetes. A Nestlé, por sua vez, já está trabalhando para aperfeiçoar os produtos, e nós, ávidos consumidores, seremos os principais beneficiados, com sorvetes muito mais saborosos e eletrodomésticos mais eficientes em casa.