Este crocodilo jurássico intimidaria até os tiranossauros com seus dentões!

Este crocodilo jurássico intimidaria até os tiranossauros com seus dentões!

Último Vídeo

Vira e mexe os paleontólogos identificam novos fósseis que se encontram esquecidos nas coleções de museus e universidades e se surpreendem com o que eles descobrem. Bem, não são apenas os cientistas que se surpreendem, na verdade, mas todo mundo que tem interesse pelos animais que dominavam a Terra até a extinção do Cretáceo-Paleógeno — que acabou com o reinado dos dinossauros.

Veja, por exemplo, o caso de um dinossauro recém-identificado por pesquisadores do Museu de História Natural de Milão. De acordo com Peter Dockrill, do site Science Alert, se trata de um crocodilão gigante que viveu há 170 milhões de anos em Madagascar, durante o período Jurássico, e que, segundo estimaram os paleontólogos, teria cerca de sete metros de comprimento e entre 800 e 1 mil quilos de peso. Outra coisa que os cientistas descobriram é que esses bichões contavam com mandíbulas enormes — e dentinhos pontiagudos com 15 cm de tamanho.

Grandalhão

O crocodilo jurássico pertence à espécie Razanandrongobe sakalavae — mas vem sendo chamado simplesmente de Razana, para simplificar —, e os primeiros fósseis foram escavados há cerca de uma década.  No entanto, como na época os cientistas não tinham muitas evidências com as quais trabalhar, o animal permaneceu sem ser identificado por todo esse tempo.

Razanandrongobe sakalavae (Fabio Manucci)

Tudo mudou com o aparecimento de novos fósseis — mais precisamente, fragmentos do crânio do crocodilão — descobertos nos anos 70, mas que eram mantidos em uma coleção particular. Pois foi a partir do surgimento desses ossos que os paleontólogos conseguiram traçar um perfil mais completo desse animal.

Dentinhos (Giovanni Bindellini)

Segundo os paleontólogos, os dentinhos dos Razana eram semelhantes aos dos tiranossauros e, considerando o tamanho de suas mandíbulas, esses crocodilões eram mais do que equipados para mastigar e estraçalhar os ossos e a carne de outros animais. Entretanto, os cientistas explicaram que eles não pertenciam ao clado Dinossauria, isto é, ao grupo dos dinossauros, mas ao clado Notosuchia, uma antiga subordem dos crocodilomorfos.

Predadores poderosos

De acordo com os cientistas, apesar de os crocodilos atuais serem “parentes” distantes dos Razana, os animais extintos não tinham corpos tão “achatados” como os dos répteis modernos. Eles eram dotados de crânios mais profundos e podiam manter posturas mais elevadas, o que os deixariam com uma altura próxima à de um humano adulto.

Mordidinha poderosa

Sendo assim, os pesquisadores teorizam que, embora os Razana fossem capazes de nadar, como os crocodilos-de-água-salgada de hoje em dia — os maiores que existem no planeta atualmente —, seus poderosos membros e postura provavelmente permitiam que eles apresentassem movimentação e comportamento distintos na hora de caçar suas presas.

Crocodilo-de-água-salgada

Os paleontólogos suspeitam que os crocodilões jurássicos eram carnívoros oportunistas que capturavam suas vítimas da mesma forma como os leões e as hienas capturam as suas. Segundo acreditam, os Razana provavelmente caçavam pequenos mamíferos e complementavam o cardápio com répteis voadores — os pterossauros — e saurópodes, que eram dinossauros herbívoros de pescoço longo.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.