Obamadon, pequeno lagarto no canto inferior esquerdo, viveu há 65 milhões de anos (Fonte da imagem: Reprodução/Boston.com)

Enquanto reexaminavam uma coleção de fósseis para tentar entender o que teria acontecido com lagartos e cobras durante o início da extinção dos dinossauros, cientistas das universidades de Yale e Harvard descobriram novas espécies nunca antes catalogadas, incluindo a de um pequeno lagarto que se alimentava de insetos que ganhou o nome de Obamadon (Obamadonte, em tradução livre).

O nome, em homenagem ao 44º presidente norte-americano, por pouco não gerou controvérsia. Como o Obamadon gracilis foi batizado antes das eleições presidenciáveis norte-americanas, a homenagem poderia acabar se tornando uma piada caso Obama tivesse perdido: afinal, que tipo de perdedor quer ver seu nome em um animal extinto, certo?

O lagarto, que viveu 65 milhões de anos atrás, foi descrito recentemente em um artigo publicado na última segunda-feira (10), na revista oficial da Academia Nacional de Ciências dos Estados Unidos. Entretanto, apesar de estar vinculado ao nome de Obama, esse é apenas um detalhe do artigo científico divulgado pelos pesquisadores, que tenta levar uma nova luz ao incidente que dizimou os dinossauros há 65,5 milhões de anos.

De acordo com a nova pesquisa, o asteroide que caiu na Terra e levou os dinossauros à extinção talvez não tenha sido tão inofensivo para cobras e lagartos como se acreditava anteriormente. Os cientistas agora estimam que cerca de 83% das espécies desses animais desapareceram com a queda do bólido.