Dinossauro pescoçudo apresentava super-ritmo de crescimento
07
Compartilhamentos

Dinossauro pescoçudo apresentava super-ritmo de crescimento

Último Vídeo

De acordo com um estudo realizado por um grupo internacional de paleontólogos, o lufengossauro, criatura pescoçuda que perambulava pelo nosso planeta há 200 milhões de anos, foi o maior animal — e o que crescia mais rápido — entre todos os dinossauros e pássaros do período Jurássico.

Segundo uma matéria publicada pelo site Science Now, o lufengossauro era um dinossauro herbívoro que habitava a Ásia e que contava com quase nove metros de comprimento. No entanto, apesar de os primeiros ossos dessa espécie terem sido descobertos na década de 30, pouco se sabia a respeito de seu processo de desenvolvimento, devido à dificuldade de se encontrar embriões fossilizados para estudo.

Ninhos pré-históricos

Esse problema foi — felizmente — solucionado graças à recente descoberta de um sitio com diversos ninhos de lufengossauro em Yunnan, na China, destruído por inundações há 190 milhões de anos. Nesse local, os pesquisadores encontraram mais de 200 ossos dessas criaturas em diferentes estágios embrionários, o que permitiu que os pesquisadores pudessem desvendar o processo de desenvolvimento dos lufengossauros.

A grande variedade de fêmures sugere que esses animais cresciam mais depressa do que qualquer outra criatura do Jurássico de que se tem notícia. Além disso, as evidências apontam que o rápido ritmo de crescimento não ocorria apenas depois do nascimento dos dinossauros, senão que tinha início antes mesmo de saírem de dentro dos ovos.

Tal característica provavelmente os ajudava a sobreviver, já que os lufengossauros eram maiores do que qualquer potencial predador que existia da época. Os fosseis descobertos são os embriões de dinossauro mais antigos já encontrados, e os pesquisadores acreditam que os tecidos ósseos coletados possam conter o mais antigo material orgânico proveniente de um vertebrado terrestre do planeta.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.