Conheça mais 7 fósseis inspirados em pessoas e personagens famosos
30
Compartilhamentos

Conheça mais 7 fósseis inspirados em pessoas e personagens famosos

Último Vídeo

Você já teve a oportunidade de conhecer aqui no Mega Curioso sete fósseis que tiveram seus nomes inspirados em estrelas do rock. Agora, você vai saber sobre mais alguns dinossauros e outros animais pré-históricos que foram batizados com títulos inspirados em pessoas e personagens famosos do mundo do entretenimento.

Os arqueólogos e cientistas fazem esse tipo de ação com frequência, homenageando alguma celebridade (viva ou já falecida) ou algum personagem para batizar os fósseis. Dessa forma, os achados arqueológicos conseguem mais atenção da imprensa e do público em geral, que passa a observá-los com mais interesse. Confira quais são eles abaixo:

1 – Gagadon minimonstrum (Lady Gaga)

A excêntrica cantora pop Lady Gaga tem o costume de chamar os seus fãs de Little Monsters (Pequenos Monstros) e esse apelido “carinhoso” acabou sendo inspiração para o mundo dos fósseis. Gaga adora fazer as suas aparições públicas das maneiras mais esquisitas possíveis, talvez por isso ganhe tanta atenção da mídia e até dos cientistas.

E parece que muitos naturalistas entram na lista de fanáticos pela artista, pois ela já foi homenageada com um gênero inteiro de samambaia (Gaga) e uma espécie de vespa (Aleoides gaga).

Além dessas homenagens, a intérprete de sucessos como Poker Face, Paparazzi, Bad Romance, Born This Way, Applause e muitos outros, agora foi relacionada a um pequeno mamífero que viveu mais de 50 milhões de anos atrás. Batizado de Gagadon minimonstrum, o fóssil tem uma estrutura dental única, o que lhe permitiu se alimentar melhor nas difíceis gramíneas na época do Eoceno da América do Norte.

2 – Livyatan melvillei (Herman Melville – autor de Moby Dick)

O autor de uma famosa obra da literatura mundial foi homenageado na nomeação de um fóssil de uma baleia pré-histórica. Em novembro de 2008, restos fósseis do que foi batizado de Livyatan melvillei foram descobertos nos sedimentos do deserto de no deserto de Pisco-Ica, ao sul do Peru.

Os restos fossilizados incluíam um crânio parcialmente preservado com dentes e mandíbula, sendo datados de 12 a 13 milhões de anos. Os pesquisadores inicialmente atribuíram o primeiro nome ao monstro bíblico, Leviatã (Leviathan), para esta baleia pré-histórica, e o melvillei foi a homenagem a Herman Melville, o autor de Moby Dick, pois os pesquisadores que estavam na escavação do fóssil eram fãs do livro.

No entanto, surgiu um pequeno problema, pois o nome científico de Leviathan era um homônimo do Leviathan descrito por Albert Koch em 1841, sendo de um gênero de mastodonte. Por isso, o primeiro nome precisou ser substituído em 2010 por Livyatan, seguindo a ortografia original hebraica.

3 – Effigia okeeffeae (Georgia O'Keeffe)

Georgia O'Keeffe foi uma pintora muito famosa dos Estados Unidos, que passou a exibir as suas obras nos anos 1920, mas ganhou ainda mais destaque em sua carreira artística quando foi homenageada por um fóssil retirado pelo paleontólogo norte-americano Edwin Colbert na pedreira de Ghost Ranch, no Novo México.

Segundo os registros científicos, o fóssil de quase dois metros foi recolhido por Edwin Colbert, mas estava dentro de grandes blocos de rocha, que foram escavados entre 1947 e 1948. No entanto, Colbert não achava que qualquer grande vertebrado estava presente na pedreira e, por isso, nem sequer abriu a maioria dos blocos que foram devolvidos para o Museu Americano de História Natural.

Muito tempo se passou até que o fóssil foi redescoberto no museu em 2006 pelo estudante de graduação Sterling Nesbitt. Nesbitt estava abrindo alguns blocos, a fim de encontrar novos espécimes de Coelophysis. Ao encontrar os restos do que veio a ser chamado de Effigia okeeffeae, ele reconheceu instantaneamente que não era um dinossauro e começou a rastrear o resto dos blocos daquela área da pedreira.

Então, Nesbitt e Mark Norell, curador do museu, batizaram o fóssil (que era de um réptil pré-histórico de 200 milhões de anos) com o nome da pintora, pois ela morou muitos anos em Ghost Ranch.

4 – Obamadon gracilis (Barack Obama)

O que o atual presidente dos Estados Unidos tem a ver com um fóssil de um lagarto pré-histórico? O nome! O Obamadon gracilis era um pequeno lagarto do final do período Cretáceo Superior da América do Norte.

Ele ganhou esse nome pelo paleontólogo Nicholas Longrich depois que Barack Obama havia sido eleito em seu primeiro mandato como uma homenagem por essa conquista. Os restos fossilizados do animal foram encontrados nas formações de Hell Creek, em Montana, e Lance, no Wyoming.  

Os pesquisadores descrevem-no como sendo distinguível pela sua arcada dentária perfeita e fina, por ser alto e magro, assim como o presidente norte-americano. Mas o Obamadon não é o primeiro organismo a ser relacionado ao Obama. Outros pesquisadores já deram o seu nome ao Etheostoma obama, um peixe, e um líquen batizado de Caloplaca obamae.

5 – Tianchisaurus (elenco de Jurassic Park)

O Tianchisaurus nedegoapeferima é uma descoberta notável por duas razões: em primeiro lugar, este é o mais antigo anquilossauro identificado no registro fóssil, que data do período Jurássico médio.

Em segundo lugar, e talvez o mais interessante, o famoso paleontólogo Dong Zhiming inicialmente nomeou este dinossauro de Jurassosaurus, porque ele ficou surpreso ao descobrir um anquilossauro Jurássico Médio e porque sua expedição havia sido parcialmente financiada pelo diretor de Jurassic Park Steven Spielberg.

Por essa segunda razão, esse dinossauro ganhou o nome de espécie nedegoapeferima, uma sequência confusa de sílabas que homenageia o elenco original de Jurassic Park: Sam Neill, Laura Dern, Jeff Goldblum, Richard Attenborough, Bob Peck, Martin Ferrero, Ariana Richards e Joseph Mazzello.

6 – Maotherium asiaticus (Mao Zhedong)

Maotherium é um gênero extinto simetrodonte mamífero que foi descoberto em rochas datadas do período Cretáceo na província de Liaoning, na China, em 2003. Seu nome científico homenageia o político chinês Mao Zhedong.

O fóssil pertence a um grupo extinto de mamíferos da era Mesozóica. A espécie descrita em 2009, o Maotherium asiaticus, esclarece um pouco sobre a evolução do ouvido médio dos mamíferos. Nos mamíferos modernos, a cartilagem de Meckel aparece durante o desenvolvimento, mas desaparece antes da idade adulta.

No Maotherium asiaticus, a cartilagem não só permaneceu, mas foi ainda transformada em osso. Este evento em evolução pode ser um exemplo de heterocronia, uma mudança no tempo de desenvolvimento.

7 – Sauroniops (Sauron, de O Senhor dos Anéis)

No início do século 21, um colecionador doou um osso do crânio de dinossauro para Museo di Paleontologico Montevarchi, da Itália. A instituição adquiriu o espécime de um negociante de fósseis marroquino, que tinha comprado a peça de caçadores de fósseis locais próximos a Taouz.

Por essa razão, a sua origem exata é incerta. Mas, pesquisas posteriores mostraram que ele apresentou uma nova espécie que foi descrita em 2012 por Andrea Cau, Marco Dalla Vecchia e Matteo Fabbri.

Naquele mesmo ano, o fóssil foi nomeado pelos pesquisadores como Sauroniops pachytholus. O nome tem o significado ligado ao "Olho de Sauron", uma entidade demoníaca da trilogia de O Senhor dos Anéis, de J.R.R. Tolkien.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.