(Fonte da imagem: Reprodução/Wikipedia)

De acordo com uma notícia publicada pela BBC, um grupo de cientistas britânicos calculou a quantidade de gás metano produzida pelos saurópodes — que inclui o famoso brontossauro —, e concluíram que eles podem ter contribuído significativamente para o aquecimento global há 150 milhões de anos.

Os pesquisadores calcularam a quantidade de “ventosidade” que esses superanimais produziam comparando o seu sistema digestório com o de bovinos. As estimativas sugerem que os saurópodes foram os responsáveis pela emissão de aproximadamente 520 milhões de toneladas de metano por ano, quantidade muito acima das 50 a 100 milhões de toneladas produzidas atualmente pelo gado.

A flatulência e o efeito estufa

O metano, gás conhecido por provocar o efeito estufa, absorve a radiação infravermelha solar e a mantém na atmosfera, causando o aumento nas temperaturas terrestres. Estudos anteriores sugerem que as temperaturas do nosso planeta durante a era mesozoica eram, pelo menos, 10 graus mais altas.

Os saurópodes eram animais gigantescos e consumiam uma enorme quantidade de vegetação. David Wilkinson, um dos pesquisadores, embora esteja mais interessado nos microrganismos presentes no sistema digestório dos dinossauros — e responsáveis pela produção de gases —, se disse surpreso com as estimativas, mas afirmou que os saurópodes não eram os únicos produtores de metano, e que os níveis desse gás na atmosfera provavelmente eram muito mais altos que os atuais.

Fonte: BBC