(Fonte da imagem: Reprodução/Wikipedia)

Segundo uma notícia publicada pelo El Mundo, um estudo realizado por pesquisadores das Universidades de Stanford e de Delaware, nos EUA, aponta que a energia eólica pode chegar a suprir metade da demanda enérgica mundial até 2030.

De acordo com a publicação, os cientistas desenvolveram um modelo teórico tridimensional da atmosfera para calcular quanta energia poderia ser produzida pelas turbinas eólicas em 2030, concluindo que essa fonte renovável poderia suprir boa parte da demanda mundial sem causar impactos ambientais significativos.

Sustentabilidade e redução do aquecimento global

Conforme explicaram os pesquisadores, embora a quantidade de energia eólica obtida aumente proporcionalmente ao número de turbinas instaladas, existe um limite para a sua produção, já que chega um momento em que a geração acaba saturada. De qualquer forma, os cientistas argumentam que, mesmo assim, o seu potencial supera as necessidades de consumo com bastante folga.

Os pesquisadores calcularam que, até o ano de 2030, serão necessários 11,5 terawatts de energia para suprir as necessidades da humanidade e, de acordo com seu modelo teórico, seriam precisos 4 milhões de turbinas — de 100 metros de altura e potência de 5 megawatts — para gerar 7,5 terawatts, ou seja, mais da metade da demanda total.

Além disso, contradizendo estudos anteriores que apontavam a energia eólica como potencialmente prejudicial ao meio ambiente, o modelo tridimensional apontou que as turbinas podem reduzir a velocidade do vento e, dessa forma, diminuir o ritmo de evaporação da água, algo que poderia reduzir o efeito estufa e as temperaturas de forma geral.

Fontes: El Mundo e PNAS