Qual o tratamento certo para cada estágio de celulite?

26/11/2012 às 11:203 min de leitura

Crédito: Thinkstock

É difícil encontrar uma mulher que não tenha problemas com a celulite. Afinal, os temidos furinhos são bem democráticos e estão presentes tanto nas mais magras quanto naquelas que estão acima do peso. Alguns especialistas acreditam, inclusive, que eles estão presentes nos corpos de 95% das mulheres.

E combater o problema não é tarefa fácil. O TodaEla já publicou um guia com 10 tratamentos para que realmente ajudam a suavizar a celulite, mas outros fatores também influenciam. Alimentação adequada, prática de exercícios físicos e escolher o procedimento certo fazem toda a diferença na luta contra o efeito casca de laranja.

Vale lembrar que a celulite aparece com mais frequência em certos locais do corpo, como região glútea, coxa, abdome e braços. Em casos mais raros, ela pode ser encontrada na região interna do joelho e nos tornozelos. Apesar de existir locais mais propensos para o surgimento do problema, identificar as causas é mais complicado. Isso porque diversos fatores influenciam o aparecimento dos furinhos, como herança genética, alterações hormonais, alimentação desregulada, acúmulo de gordura corporal e sedentarismo.

Assim, a celulite é parte de um processo inflamatório das células gordurosas. Em resumo, o tecido adiposo aumenta e comprime os vasos linfáticos e as veias, gerando um edema que prejudica a circulação. Por isso, antes de investir em tratamentos, é preciso optar por um estilo de vida saudável.

As fisioterapeutas da Clínica Estética Los Angeles, localizada em Curitiba, indicam eliminar alguns vilões da dieta para começar o combate à celulite. Entre eles estão o álcool e o cigarro, além de sal, gorduras, frituras, doces e refrigerantes em excesso. A recomendação é praticar exercícios físicos e manter a alimentação balanceada. Além disso, vale prestar atenção ao look de todo dia: evitar salto alto e roupas justas que prejudiquem a circulação também ajuda a suavizar os furinhos.

Outra dica é apostar em uma massagem turbinada para complementar o tratamento escolhido, independente do nível da sua celulite. O exemplo da clínica curitibana é a sessão feita em todo o corpo a partir de movimentos intensos, rápidos e repetitivos com o auxílio de rolos de sucção com miniventosas que ativam a circulação, eliminam as toxinas e aumentam a oxigenação e a nutrição celular.

Porém, quem quer combater o problema da maneira mais eficaz pode conferir a lista abaixo. Nela, você encontra dicas para identificar em qual estágio está a sua celulite e quais os procedimentos que se adéquam mais a cada situação. Veja as dicas e elimine os furinhos para o verão.

Estágio 1

Crédito: Thinkstock

O estágio 1 da celulite é o mais fácil de tratar, já que é possível optar por tratamentos mais suaves. Ele é caracterizado por apenas uma discreta dilatação das veias do tecido gorduroso, sendo que quase não há sinais visíveis.

Para a fisioterapeuta Juliana Cella, da clínica Los Angeles, a combinação de Manthus e Drenagem Linfática é a mais indicada nesse caso. “Essas duas técnicas associadas vão evitar o avanço do grau da celulite e atuarão como prevenção”, afirma ela.

O Manthus é praticamente indolor e apresenta resultados rápidos. Ele combina ultrassom e correntes elétricas, quebrando as células de gordura em partículas menores. Os estímulos elétricos então fazem com que elas sejam eliminadas pela urina.

Já a Drenagem Linfática é uma massagem feita com movimentos leves que ativam a circulação, favorecem a oxigenação celular, reduzem o inchaço e, consequentemente, combatem a celulite. A sessão de, em média, uma hora também faz bem para o bem-estar, pois ajuda a relaxar.

Estágio 2

Crédito: Thinkstock

No estágio dois da celulite, já é possível observar as irregularidades na pele. Isso porque o aumento do volume das células provoca alteração circulatória, comprimindo as veias e os vasos linfáticos. O resultado é um inchaço das células de gordura que começam a ficar acumuladas.

Nesse caso, vale apostar na combinação de Powershape e Velashape, como aconselha a fisioterapeuta da clínica curitibana, Renata Marquetti. “Os dois procedimentos ativam a circulação e estimulam a produção de colágeno e fibras elásticas”, explica ela.

O Powershape Plataform possui tecnologia “seis em um” para associar diferentes técnicas. Assim, a integração dos procedimentos permite a quebra das células de gordura e estímulo da produção de colágeno e elastina. O resultado é uma pele mais lisa e uniforme.

O Velashape, por sua vez, alia radiofrequência, infravermelho e massagem para combater não apenas a celulite, mas também a flacidez e a gordura localizada. Recentemente, foi lançada a versão II do aparelho, que é três vezes mais potente. Assim, a promessa é esculpir o corpo, ativar a circulação, melhorar a vitalidade da pele e, claro, suavizar os furinhos.

Estágio 3

Crédito: Thinkstock

As mulheres que estão no estágio 3 da celulite já possuem o aspecto “casca de laranja” na região atingida. Nesse nível ocorre uma desorganização do tecido e o aparecimento de nódulos que são vistos como irregularidades na superfície da pele. Há também um comprometimento da circulação.

Para combater o problema, a fisioterapeuta Gabrielle Kadri, da clínica Los Angeles, indica a combinação de Velashape e Carboxiterapia. “Enquanto a Carboxiterapia aumenta a oxigenação da região, o Velashape ajuda a diminuir as células de gordura”, comenta ela.

Vale ressaltar que a Carboxiterapia é um tratamento um pouco mais doloroso e invasivo, pois conta com injeções que preenchem as camadas inferiores da pele e promovem a oxigenação do tecido.

Estágio 4

Crédito: Getty Images

O estágio 4 é aquele que a celulite está mais avançada. Os furinhos são duros e a região fica com depressões. Em razão dos nervos comprimidos, a sensação de dor no local é comum. Nesse nível, a aparência de casca de laranja pode ser vista até mesmo através das roupas.

Para combater o problema, a dica da fisioterapeuta Juliana Cella é combinar Cavitação e Velashape. “A cavitação provoca a formação de microbolhas no tecido adiposo que implodem e são eliminadas por vias naturais. Aliada ao Velashape, ela promoverá também a produção de colágeno”, explica ela.

Antes de começar um tratamento, as especialistas recomendam uma consulta com um fisioterapeuta ou profissional especializado para conferir se os aparelhos realmente se adéquam às suas necessidades e se não há contraindicações para o seu estilo de vida. Ainda assim, não é preciso se preocupar: sempre haverá um procedimento para ajudar você a se livrar dos furinhos.

Fonte
Imagem

Últimas novidades em Saúde/bem-estar

NOSSOS SITES

  • TecMundo
  • TecMundo
  • TecMundo
  • TecMundo
  • Logo Mega Curioso
  • Logo Baixaki
  • Logo Click Jogos
  • Logo TecMundo

Pesquisas anteriores: