Gatos do futuro: 3 possíveis cenários da evolução dos felinos

Gatos do futuro: 3 possíveis cenários da evolução dos felinos

Último Vídeo

No livro “The Lion in the Living Room”, (“O Leão na Sala de Estar”, em tradução livre), a autora Abigail Tucker analisa a trajetória dos felinos e também traça três possíveis caminhos que a evolução traria para esses animais. Se formos pensar direito, a humanidade caminha com os gatos há 10 mil anos, mas muitos traços selvagens ainda permanecem em seus comportamentos.

Veja bem: o gato doméstico é bem mais próximo do gato selvagem do que o cachorro é do lobo, por exemplo. É por isso que muitos acreditam que ainda estamos em processo de domesticação dos gatos que, grosso modo, só servem como companhia. Ao contrário dos cachorros, por exemplo, que servem a humanidade para a caça ou para a proteção.

Confira 3 possibilidades para os gatos no futuro:

1. Mutações inaptas

Dois dos mais famosos gatos da atualidade possuem mutações que os deixam fofinhos: a Grumpy Cat parece estar sempre ranzinza, mas isso é por conta de um nanismo que faz seu cenho parecer sempre franzido; enquanto a Lil Bub possui um focinho mais achatado e fica com a língua sempre para fora, culpa de um crescimento disforme de seus ossos.

Apesar de chamarem a atenção na internet, a escritora Abigail Tucker ressalta que essas duas gatas não teriam chances na natureza, caso seguíssemos a lógica de Charles Darwin de que apenas os animais mais aptos prosperam. No futuro, essas mutações devem ser ainda mais frequentes, principalmente em gatos domésticos.

2. Gatos híbridos

Muitos criadores estão seguindo o caminho inverso da domesticação ao cruzar os gatos domésticos com seus primos selvagens. O resultado tem sido um felino muito bonito, ainda que essencialmente selvagem, que chega a custar R$ 80 mil! Esse hibridismo, entretanto, não é recente: raças como a Bengala e a Savannah surgiram da mistura entre animais de casa com os que vivem na natureza.

No futuro, essa miscigenação parece que vai criar gatos domésticos que de domésticos não terão nada: visto que o hibridismo favorece os genes dominantes da natureza, é possível que tenhamos pequenos leões vivendo em nossa sala de estar e que poderão nos atacar a qualquer momento, inclusive com ferimentos profundos.

3. Gatos gigantes

Um fato que surpreende os cientistas é que os gatos domésticos possuem grande chance de sobreviver na natureza. Entretanto, essa nova fase da evolução felina pode ter um resultado inesperado: novas espécies de felinos com tamanho muito acima da média à qual estamos acostumados.

Na Austrália, por exemplo, não existe nenhuma espécie nativa de gatos selvagens. Entretanto, há relatos de populações felinas vivendo por lá que seriam de um tamanho bem grande. Na natureza, é comum que o predador maior tenha mais chance de sobreviver. Assim, no futuro talvez tenhamos novas espécies de gatos selvagens, bem maiores do que as que possuímos hoje em dia.

***

Você sabia que o Mega Curioso também está no Instagram? Clique aqui para nos seguir e ficar por dentro de curiosidades exclusivas!

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.