Rio Moda Hype – Dia 2

Rio Moda Hype – Dia 2

Equipe MegaCurioso

E fechando os dois dias de desfiles dos novos talentos da moda brasileira no Rio Moda Hype, mais cinco marcas desfilaram suas mini coleções, finalizando também o segundo dia de desfiles do Fashion Rio. Confira o que rolou:

Branchée (Rio de Janeiro) – Feminino

Fonte: Divulgação

A coleção foi chamda de “Swinging”, baseada em todo o movimento cultural de Londres nos anos 60 e também na mistura de raças e regionalidades diversas. O objetivo era uma coleção descolada e moderna, contando com estampas criadas por Karina Jasmim Edde.

As cores são primárias e com tons fortes, fazendo referência à África. Os materiais são bem diversificados, entre eles telas, fios e um misto de tecelagem manual de tricô com matelassês e nylon.

O destaque vai para as meias calças coloridas, calça curtas, leggings de tricô e parcas estampadas. Os tecidos brilhosos e os chapéus que adornavam a cabeça das modelos também fizeram sucesso.

Estúdio Frame (São Paulo) – Unissex

Fonte: Divulgação
A Estúdio Frame se baseou na torção formada pelos nós para seu inverno 2012. Por isso, a coleção foi intitulada “Knot”. As peças são soltas, estilo pijama, e as modelagens e fios estão deslocados nas peças.

As camisas femininas trazem muita transparência, e o brim com um visual de couro envelhecido é um dos pontos altos do desfile. A variedade de tecidos inclui a malha, tricô, matelassê e gaze. Já as cores passam pelo preto, nude, azul, cinza e vermelho.

Paulo Rocha (Rio de Janeiro) – Masculino

Fonte: Divulgação
Paulo Rocha foi buscar referências nas fotos de “Os trabalhadores de Marc Ferrez” para o inverno 2012. As fotos retratam trabalhadores do passado e ambulantes, sendo que a partir disso ele criou uma alfaiataria toda descontruída para seus homens.

O algodão, seda e lã são muito explorados, sendo que a parte de cima é sempre bem ajustada e as calças volumosas e com pregas. As camisas se utilizam de trabalho artesanal e patchwork, com detalhes e acabamentos em couro e fendas nas mangas.

O tricô e as transparências também tem seu espaço, e as cores passam pelo cinza, azul royal, preto, marinho e verde mais puxado para o oliva. Como acessórios, chapéus e bolsas carteiro.

Sann Marcuccy (Brasília) – Unissex

Fonte: Divulgação
As ilusões de ótica do artista visual M.C ESCHER foram o ponto de partida para o inverno da Sann Marcuccy. A marca mostrou peças minimalistas e bem estruturadas, com fit slim e comprimentos no joelho.

A sustentabilidade fez parte do desfile, sendo que os tecidos escolhidos são ecologicamente corretos, como o linho com seda, a seda pura, a lã, o couro e até mesmo o linho com fibra de abacaxi.

Algumas estampas com aparência floral e um brilho bem discreto surgiram junto a decotes profundos e costas abertas. As cores principais foram o marfim, cinza, dourado e preto.

Martins Paulo (Piauí) – Feminino

Fonte: Divulgação
Santos Dumont foi a referência principal da coleção da Martins Paulo para o inverno. Peças do guarda-roupa masculino foram incorporadas ao feminino com tecidos planos, couro, camurça, verniz, algodão resinado e até mesmo acrílico.

Os grafismos presentes remetiam à aerodinâmica, com partes em tela, pedraria e zíperes a mostra. As cores predominantes foram o azul, preto, cinza, nude, verde, marrom e amarelo.

Você sabia que o Mega Curioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.