(Fonte da imagem: iStock)

Parece que não só os olhos azuis ou aquela carequinha protuberante podem ser passados para você geneticamente. Um novo estudo realizado pela UCLA busca comprovar que a inteligência também pode estar na genética.

A pesquisa, que recentemente foi publicada na Nature Genetics, foi realizada pela universidade com mais de 20 mil voluntários. O trabalho estudou amostras de DNA e ressonâncias magnéticas de todas essas “cobaias”.

Segundo o Gizmodo, essa quantidade enorme de pessoas dispostas a colaborar permitiu que os pesquisadores conseguissem encontrar e identificar um único gene com um impacto significativo e mensurável sobre a inteligência das pessoas: o HMGA2.

As alterações nesse gene podem modificar o QI de uma pessoa em até 1,29 ponto e, de acordo com as descobertas do estudo, isso se dá graças a apenas uma molécula diferente na cadeia de DNA.

Apesar de parecer um número pequeno e sem grande relevância na “inteligência como um todo” de um ser humano, isso mostra que variações químicas, mesmo que mínimas, podem ter efeito sobre a inteligência e o QI de uma pessoa.

Além disso, a pesquisa foi capaz de perceber também que essa variação no gene HMGA2 pode significar outra coisa: um cérebro um pouco maior, com cerca de 0,58% a mais de massa do que o órgão apresenta geralmente em seu tamanho médio.

Com o estudo, pode-se perceber que não só a educação dada pelos pais é importante, mas também a herança genética deixada para os filhos na hora de definir, ainda que de forma pequena, a inteligência de outros seres humanos.