7 crateras espetaculares que foram formadas pelo impacto de meteoritos
20
Compartilhamentos

7 crateras espetaculares que foram formadas pelo impacto de meteoritos

Último Vídeo

1. Cratera Kaali – Estônia

Há 7,5 mil anos, um grande meteorito atingiu a ilha de Saaremaa, na Estônia, resultando em nove crateras – vale ressaltar que é o último caso desse tipo de incidente em um local densamente povoado. A maior das crateras recebeu o nome de Kaali, o mesmo da vila que a abriga, e serviu para práticas religiosas durante vários séculos, inclusive com sacrifícios animais na sua borda. Restos desse período são encontrados até hoje, e tem gente que acredita que muitos mistérios se escondem no fundo do lago que se formou após o impacto.

No passado, local foi centro de cultos

2. Bacia do Ries – Alemanha

No meio da Baviera, uma grande cratera foi o resultado do impacto de um meteorito há mais de 15 milhões de anos. Dentro dela surgiu a cidade de Nördlingen, que tem, pelo menos, 1,2 mil anos. À época, foram aproveitados pedaços da estrutura e do meteorito nas construções, como na catedral da cidade de 20 mil habitantes que permanece até hoje incrustrada no que sobrou do impacto.

Cidade alemã foi construída dentro da cratera

3. Cratera Pingualuit – Canadá

Conhecido mundialmente como o lago que tem as águas mais puras da Terra, essa cratera é resultado de um impacto ocorrido há 1,2 milhão de anos, na península Ungava, em Quebéc, no Canadá. O meteorito formou um buraco quase perfeitamente circular, preenchido com água apenas de precipitações pluviais. Ele não tem conexão com nenhuma outra fonte de água, por isso sua pureza é bastante exaltada.

Lago com as águas mais puras do mundo foi formado pelo impacto de um meteorito

4. Cratera de Vredefort – África do Sul

O impacto que resultou na extinção dos dinossauros ocorreu no México há 65 milhões de anos, mas quase nada dele é visível nos dias de hoje – ao contrário da cratera Vredefort, que resultou de um meteorito que atingiu a Terra há alguns bilhares de anos e é o maior evento desse tipo desde que o nosso planetinha surgiu no Cosmos. A erosão achatou boa parte da cratera, mas do espaço ainda é possível ver alguns de seus anéis. Acredita-se que o impacto original tenha se estendido por mais de 300 quilômetros de diâmetro.

Partes do que restou da cratera são mais bem vistas do espaço

5. Cratera Wolfe Creek – Austrália

Esta cratera bem preservada no interior da Austrália é resultado do impacto de um meteorito que atingiu a Terra há 300 mil anos. O buraco tem quase 100 metros de diâmetro e 60 de profundidade, e, com isso, os cientistas puderam calcular que a rocha espacial teria cerca de 50 mil toneladas ao entrar na atmosfera terrestre. Outros pequenos fragmentos desse meteorito teriam criado crateras menores na região.

Impacto "recente" permitiu que a cratera não perdesse muito de seu formato original

6. Cratera de Barringer – Estados Unidos

Formada há 50 mil anos, essa cratera foi descoberta no estado do Arizona, em 1903, pelo geólogo Daniel Barringer. Entretanto, a teoria de que um impacto de meteorito originou o gigantesco buraco não foi muito bem aceita até os anos 1960 – nessa época, Barringer já havia falecido, mas seu nome foi dado à formação.

Cientistas demoraram a aceitar que este buraco tinha sido formado por um meteorito

7. Domo Upheaval – Estados Unidos

Essa formação geológica é bastante visível do espaço, mas sua origem ainda é duvidosa: alguns acreditam ser o resultado do impacto de um meteorito, outros acham que é apenas mais um domo de sal, bastante comum no estado de Utah. Os especialistas não conseguiram defender nenhuma das duas teorias com mais intensidade, embora a primeira venha ganhando força nos últimos anos. Acredita-se que o impacto tenha ocorrido há 60 milhões de anos e que o seu formato original era bem diferente dos dias de hoje.

Impasse parece ter chegado ao fim: a descoberta de quartzo de impacto parece reforçar a tese de meteorito

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.