Snowden vaza novos documentos que mostram espionagem em voos
202
Compartilhamentos

Snowden vaza novos documentos que mostram espionagem em voos

Último Vídeo

Edward Snowden revelou novos documentos que mostram mais um capítulo da vigilância de massa promovida por agências governamentais: a NSA e a GCHQ interceptavam chamadas telefônicas realizadas por celulares dentro de aeronaves. Os papéis mostram que ambas as agências espionaram milhares de pessoas desde 2007, voando em companhias como: British Airways, Air France, Hong Kong Airways, Aeroflot, Etihad, Emirates, Singapore Airways, Turkish Airlines, Cathay Pacific e Lufthansa.

Os documentos mostrados pelo delator e ex-analista da CIA começam descrevendo um enigma, segundo o The Intercept: "O que o presidente do Paquistão, um contrabandista de charutos, um traficante de armas e um alvo terrorista têm em comum? Todos eles usam os próprios celulares GSM durante voos".

Snowden ainda deve revelar mais levas de documentos sobre o caso

Era exatamente dessa maneira que a Agência Nacional de Segurança norte-americana (NSA) e o serviço secreto britânico GCHQ (Government Communications Headquarters) espionava os celulares: por meio da rede GSM.

Os documentos ainda não foram liberados em sua totalidade. Até o momento, o Le Monde ajudou a divulgar alguns alvos: o presidente angolano José Eduardo dos Santos, o ex-presidente queniano Mwai Kibaki, o primeiro-ministro queniano Raila Odinga, o ex-presidente nigeriano Umaru Yar’Adua, o também ex-presidente nigeriano Goodluck Jonathan, o ex-presidente ganense John Kufuor, dirigentes, empresários, movimentos rebeldes, empresas de telecomunicações e organizações internacionais de pelo menos 20 países africanos.

Snowden ainda deve revelar mais levas de documentos sobre o caso, e mais nomes de outros continentes devem surgir.

Interceptação

Como acontecia a espionagem

De acordo com apresentações da NSA, cerca de 50 mil pessoas usaram celulares GSM em voos já em 2008. O número subiu para 100 mil em fevereiro de 2009. Os relatos de espionagem vão até 2013, e esse número provavelmente subiu exponencialmente.

O programa de vigilância era chamado de "Southwinds" e servia para captar toda a atividade celular em voos, como comunicações de voz, dados trocados, metadados e até mensagens enviadas.

Voz, SMS, apps, VOIP e até torrent: tudo era espionado

Segundo os documentos, as agências conseguiam captar as conversas "em tempo real", com um pequeno atraso de 10 minutos. Além disso, um avião poderia ser rastreado a cada 2 minutos. Para o sistema de espionagem funcionar corretamente, o avião também deveria estar acima de 10 mil pés."Estação aéreas secretas no solo poderiam interceptar o sinal enquanto ele era enviado para um satélite. Eles era capazes de interceptar tudo, desde o ID do Facebook, endereço de email e uso de aplicativos de viagens", notou o The Intercept. 

Os celulares BlackBerry, tidos como os mais seguros no começo dessa década, também eram espionados, com agências colocando as mãos em códigos PIN e emails. Os documentos ainda listam acesso a webchats, Google Maps, VOIP, BitTorrent e Skype.

Novos documentos ainda vão surgir. Quando acontecer, você poderá acompanhar aqui no TecMundo.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.