Outras 3 formas de propaganda usadas pelos Governos ao longo da História
57
Compartilhamentos

Outras 3 formas de propaganda usadas pelos Governos ao longo da História

Equipe MegaCurioso
Último Vídeo

Há alguns meses, nós aqui do Mega Curioso publicamos uma matéria listando formas de propaganda que alguns Governos já usaram para plantar ideologias e manipular a população. Entretanto, como o que não faltam ao longo da História são maus exemplos, decidimos reunir mais três casos para você conferir.

1 – Os reis da (pisada de) bola

Não é só aqui no Brasil que o futebol é incrivelmente popular. Ele está sem dúvida entre os esportes mais — amados, discutidos, assistidos e — acompanhados do planeta. Mas existem exceções, e os Estados Unidos são uma delas. Entretanto, sua falta de interesse em “soccer” não os impediu de tirar proveito dessa modalidade esportiva para influenciar os outros.

Mancada

Há alguns anos, os norte-americanos distribuíram camisas e bolas de futebol — devidamente marcadas com a frase “Presente dos Estados Unidos” — a centenas de jovens iraquianos com o objetivo de conquistar a população, e eles conseguiram alcançar certo grau de sucesso combinando essa estratégia de propaganda com outras tantas.

A mesma artimanha também foi usada no Afeganistão, mas com resultado desastroso. Isso porque, em vez de seguir com a ideia do presente e tal, as bolas foram marcadas com frases religiosas do tipo “Não existe outro Deus além de Alá, e Maomé é seu mensageiro”. Os afegãos se sentiram profundamente ofendidos e se negaram a chutar um objeto trazendo dizeres sagrados.

2 – Guerra dos selos

Hoje em dia, são raras as pessoas que usam as boas e velhas cartas para se comunicar, não é mesmo? Entretanto, durante a Segunda Guerra Mundial, o serviço postal era uma necessidade e, basicamente, um dos meios mais acessíveis que existiam na época para o envio de informações.

Controlar os correios significava ter poder sobre as mensagens trocadas durante a guerra — e os Aliados e as Potências do Eixo se lançaram em uma batalha para sabotar os selos que os dois lados produziam. Os aliados, por exemplo, criaram versões levemente modificadas de selos que traziam os rostos de Adolf Hitler ou Benito Mussolini, usando imagens nas quais eles pareciam assustados ou com aparência demoníaca. Veja a seguir:

Hitler ainda mais do mal

Além disso, os aliados lançaram uma série de selos que traziam os rostos de vários líderes nazistas — com o propósito de dar a impressão de que o poder estava descentralizado. Já a turminha do Eixo criou selos nos quais os dirigentes aliados apareciam com frases depreciativas e chegaram a substituir o rosto da Rainha da Inglaterra pelo de Stalin e lançar uma versão em que Winston Churchill aparecia chorando.

Artistas guerrilheiros

3 – Chuva de dinheiro

Não restam dúvidas de que o dinheiro tem um imenso poder de influenciar as pessoas — e vários governos tiraram proveito da fraqueza humana para manipular populações inteiras. Durante a Segunda Guerra Mundial, por exemplo, era comum que os aliados “bombardeassem” nações asiáticas com notas falsas contendo mensagens pensadas para afetar o povo psicologicamente.

Falso!

Os EUA cansaram de lançar cédulas sobre os japoneses com informações que visavam minar a confiança do povo no Governo do país. Já os britânicos jogaram notas sobre a Malásia — ocupada pelo Japão — que diziam que a moeda japonesa estava prestes a perder todo o seu valor e seria substituída pelas libras esterlinas em pouco tempo.

Mais tarde, na Guerra do Vietnã, os EUA falsificaram notas vietnamitas e fizeram “chover” dinheiro sobre a população local. Só que as cédulas continham mensagens que diziam que os comunistas iam afundar o país e que a população acabaria na mais completa miséria.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.