(Fonte da imagem: Reprodução/NASA)

Depois de anos de viagens espaciais e da presença de satélites ao redor do nosso planeta, a verdade é que existe uma grande quantidade de lixo orbitando próximo a nós. Alguns especialistas, inclusive, acreditam que se tornará bastante complicado navegar perto da Terra daqui a algumas décadas, pois esses objetos podem se tornar extremamente perigosos, chocando-se contra naves e astronautas a velocidades supersônicas.

Contudo, ainda bem que existem cientistas preocupados com esse problema. De acordo com o site New Scientist, uma das ideias para limpar o lixo espacial seria utilizar nuvens de gás para “soprar” toda essa tralha de volta para a Terra.

Faxineiro espacial

Segundo a publicação, a maior parte desse material — partes abandonadas de foguetes, satélites quebrados e peças resultantes das intermináveis trombadas entre esses aparelhos — acaba se incendiando facilmente ao reentrar na nossa atmosfera. Assim, por que não desenvolver um dispositivo que servisse para dar um empurrãozinho?

O pessoal da Boeing pensou em construir um foguete com um enorme tanque contendo um gás criogênico inerte — como o criptônio ou o xenônio —, que seria disparado contra o lixo, formando uma nuvem densa ao redor desses objetos. O gás faria com que esse material tivesse sua velocidade drasticamente reduzida, fazendo com que entrassem em combustão nas camadas mais altas da nossa atmosfera.

Conforme explicaram os criadores do faxineiro espacial, o foguete seria ideal para trabalhar abaixo de 100 quilômetros de altura — ou seja, abaixo da linha que define o limite do espaço —, de onde poderia vaporizar o lixo espacial localizado a até 600 quilômetros da superfície.

Fonte: New Scientist