(Fonte da imagem: Thinkstock)

De acordo com uma notícia publicada pela BBC, uma empresa norte-americana desenvolveu um novo software capaz de identificar passageiros potencialmente perigosos e evitar que essas pessoas embarquem em voos comerciais. O programa emprega um sistema conhecido como "avaliação de perfil de risco", que destaca grupos ou indivíduos com comportamentos fora de um padrão determinado ou que possam oferecer algum tipo de ameaça.

Segundo a publicação, o programa — criado pela empresa SAS Software — é alimentado com uma série de informações referentes ao passado e comportamento de uma pessoa, e depois avalia uma série de variáveis como o histórico de prisões anteriores ou problemas com a alfândega de algum país, a forma como o passageiro pagou pela passagem, se é proveniente de ou viajou a algum país com riscos de segurança ou se já foi considerado como suspeito de algo.

Mais segurança

O sistema, então, cria um relatório que aponta aos agentes dos aeroportos se determinado indivíduo é potencialmente perigoso ou não. Contudo, embora muitos acreditem que a novidade seja uma arma eficaz para evitar ataques terroristas e outras situações de risco em aeroportos e aviões, já existe uma forte preocupação de que o programa possa provocar desconfortáveis situações de discriminação religiosa e racial.

A SAS garante que o sistema apenas avalia uma série de variáveis pré-estabelecidas e que não se trata de um programa discriminatório. O software também funciona para identificar possíveis cargas de risco ou contrabando, e as autoridades coreanas, que já estão utilizando o sistema, apontaram um aumento de 20% no índice de detecção de transporte ilegal de mercadorias. Os aeroportos do Reino Unido serão os próximos a implantar a novidade.