(Fonte da imagem: Reprodução/Projeto HiRISE )

Quem disse que o planeta vermelho é somente dessa cor? Na verdade, a superfície de Marte é composta por uma variedade de tons, sendo que a maioria deles nem é o vermelho.

A imagem acima, capturada pela supercâmera HiRISE, mostra algumas dunas de Marte com várias manchas escuras em sua superfície. De acordo com a cientista da NASA Cindy Hansen, que estuda os fenômenos sazonais que ocorrem no planeta vermelho, não se trata de nenhum fenômeno sobrenatural, nem de alguma rebelião de homenzinhos verdes.

Segundo a cientista, durante o inverno marciano, as dunas localizadas a 70 graus de latitude norte ficam cobertas por uma camada sazonal de dióxido de carbono na forma de gelo — o famoso gelo seco —, que é o que deixa essas formações com sua tonalidade avermelhada. Entretanto, durante a primavera, esse gelo passa diretamente do estado sólido para o gasoso, deixando à mostra porções da superfície arenosa das dunas, que na verdade é escura.

As manchas mais escuras provavelmente são os pontos onde o gás foi liberado na forma de pequenas explosões, semelhantes “a uma garrafa de champagne estourando, liberando a areia escura em várias direções”, explicou Hansen.