(Fonte da imagem: Reprodução/NASA)

De acordo com uma notícia divulgada pela NASA, a Curiosity descobriu um antigo leito de rio na superfície de Marte. A sonda espacial encontrou afloramentos rochosos entre a margem norte da cratera Gale e a base do monte Sharp, contando com pequenas rochas que parecem ter sido esculpidas e transportadas pela forte ação das águas de um rio.

Os cientistas da NASA estão avaliando as imagens enviadas pela Curiosity, afirmando que os tamanhos e os formatos das rochas trazem evidências que permitem calcular a profundidade e a velocidade das águas que fluíam pelo leito. De acordo com as estimativas iniciais, os pesquisadores acreditam que o rio corria a cerca de 0,9 metros por segundo e contava com uma profundidade que poderia, em uma pessoa, variar da altura dos tornozelos até o quadril.

Ação vigorosa das águas

Diversos indícios sobre a presença de água no Planeta Vermelho já haviam sido descobertos pelos pesquisadores, mas essa é a primeira vez que evidências diretas são encontradas, já que os cientistas estão convencidos de que as rochas foram transportadas e moldadas pela ação das águas na superfície de Marte.

Segundo explicou a NASA, a sonda espacial não encontrou nenhuma prova da existência de vida no Planeta Vermelho, e nem é esse o foco da missão. A Curiosity se encontra em Marte para estudar o potencial de habitabilidade do planeta e, de acordo com os pesquisadores, os resultados obtidos em pouco mais de um mês não poderiam ser mais promissores. Os cientistas classificam o leito recém-descoberto como sendo o primeiro ambiente potencialmente habitável.

Fonte: NASA