Com a chegada da sonda espacial Curiosity a Marte, estamos tendo a oportunidade de explorar o Planeta Vermelho como nunca. As imagens que nos são enviadas, contudo, mostram uma superfície um tanto quanto inóspita, que mais lembra um deserto.

Mas, de acordo com a NASA, muitos cientistas acreditam que Marte um dia foi muito diferente do que é hoje, contando com rios fluindo sobre a sua superfície e, inclusive, com uma atmosfera mais espessa e repleta de nuvens. A animação acima, produzida pela agência espacial norte-americana, explica o que pode ter acontecido para que o Planeta Vermelho perdesse sua atmosfera e se transformasse no que é hoje. Veja que interessante!

Pulverização caótica

Segundo a animação, os cientistas acreditam que inúmeros processos podem ter causado o desaparecimento da atmosfera de Marte, sendo que um deles — o abordado no vídeo — é conhecido como pulverização caótica. Durante esse processo, os átomos presentes na atmosfera são lançados ao espaço devido a colisões de partículas energéticas.

Assim, considere que o nosso Sol está constantemente emitindo partículas altamente energéticas — os fótons — e, quando essas partículas entram na atmosfera de um planeta, elas podem se chocar com as moléculas presentes nela, liberando elétrons que, por sua vez, podem se transformar em íons. Esses íons soltos, contudo, podem interagir com um campo magnético, espiralando em sua direção e causando diversas alterações.

Íons e campo magnético

O Sol produz um poderoso campo magnético, que viaja pelo espaço através das tempestades solares. Quando uma parte desse campo passa próximo a um planeta, ele pode capturar os íons soltos e lançá-los ao espaço. Contudo, dependendo do ângulo com que o campo magnético se aproxima, ele também pode fazer com que os íon se choquem com as moléculas e átomos presentes na atmosfera, lançando essas partículas ao espaço como se fossem bolas de sinuca.

Portanto, de acordo com a teoria da pulverização caótica, é possível que a perda gradual da atmosfera de Marte tenha ocorrido depois de bilhões de anos de jogo de sinuca espacial entre o campo magnético lançado pelo sol e as partículas presentes no céu do Planeta Vermelho. Interessante, não é mesmo?

Você pode ativar as legendas em português no menu do vídeo.

Fonte: YouTube