Depósitos de sal do Tinto abrigam pelo menos cinco tipos de microrganismos (Fonte da imagem: Reprodução/Wikipedia)

O rio Tinto, no sudoeste da Espanha, é um ambiente bastante hostil para a sobrevivência de qualquer organismo, devido à acidez de sua água. Mesmo assim, biólogos foram capazes de identificar bolsões de sal capazes de abrigar pelo menos cinco tipos diferentes de microrganismos.

Agora, cientistas acreditam que formações semelhantes ocorram em Marte e que, assim como na Terra, a vida também pode ter encontrado uma maneira de se desenvolver. Essa especulação se deve ao fato de que o rio Tinto possui jarosita, uma mistura de sal com enxofre e ferro que já foi identificada no Planeta Vermelho pela sonda Opportunity, em 2004.

Além dessa, outras formações de sal foram observadas pela Mars Global Surveyor e, de acordo com um artigo publicado pelo Centro de Astrobiologia da Espanha, esses depósitos marcianos poderiam abrigar vida ou então preservar traços que indicariam o fato de que algum organismo já existiu naquela região.

Quem sabe em breve a sonda Curiosity não possa verificar isso, não é mesmo?