(Fonte da imagem: Reprodução/The Verge)

Pesquisadores da Universidade Estadual da Flórida divulgaram nesta semana uma série de imagens raras que mostram como era o cérebro de Albert Einstein, considerado um dos maiores gênios que a humanidade já produziu. As 14 imagens revelam que havia diferenças físicas entre o cérebro de Einstein e o da média da população.

O córtex de Einstein é descrito pelos pesquisadores como “extraordinário” e os especialistas sugerem que o seu tamanho possa ter contribuído para as suas habilidades cognitivas. Outras anomalias identificadas podem ter servido de “base” para o êxito do seu trabalho. Entretanto, o fato de as diferenças físicas do cérebro impactarem em seu funcionamento ainda é motivo de estudo por parte da comunidade científica.